sexta-feira, 25 de março de 2011

PF prende ex-chefe de delegacia da Polícia Rodoviária Federal no Rio


Esquema de corrupção cobrava propina de empresários.
Um empresário que participava do esquema foi preso em flagrante.





Oito policiais rodoviários federais foram presos, na manhã desta sexta-feira (25), durante a Operação Pisca-Alerta, da Polícia Federal. De acordo com o delegado da PF, Fábio Galvão, entre os presos está o ex-chefe da 3ª delegacia de Polícia Rodoviária Federal, em Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio.
(Correção: durante a entrevista coletiva, a Polícia Federal se referiu ao preso como chefe da 3ª delegacia de Polícia Rodoviária Federal. Posteriormente, a Polícia Rodoviária Federal informou que o preso é ex-chefe e que saiu do cargo em dezembro do ano passado, durante as investigações. A reportagem foi corrigida às 13h21.)
Os presos são suspeitos de participar de um esquema de corrupção de cobrança de propina de empresários da região de Angra dos Reis, Itaguaí, Paraty e Mangaratiba.
Galvão explica que o ex-chefe da delegacia era sócio de uma empresa de ônibus. “A empresa era uma das beneficiadas pelo esquema de corrupção”, garantiu o delegado. A ação conta com o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF).
Agentes presos trabalhavam na Rio-Santos
Ainda de acordo com o Fábio Galvão, 18 pessoas foram denunciadas pelo esquema. Destas, 15 são da PRF. As outras três são empresários. Dos dez mandados de prisão expedidos, oito foram cumpridos. Um não pôde ser cumprido porque o policial havia sido assassinado no dia 4 de março, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ainda falta cumprir um mandado de prisão.
Os policiais denunciados eram responsáveis pela fiscalização na BR-101 Sul (Rio-Santos).  O delegado explicou também que os agentes foram denunciados pelo Ministério Público Federal por crimes como inserção de dados falsos no sistema da PRF, corrupção, formação de quadrilha armada, violação de sigilo funcional e advocacia administrativa (contato para retirar multas). “Os agentes avisavam até de barreiras da PRF a quem pagava propina”, disse Galvão.
Empresário preso em flagrante
Fábio Galvão revelou também que um empresário, suspeito de recolher propina de colegas para repassar aos agentes, foi preso em flagrante nesta manhã. Ele estava com armas e munições.
Segundo o delegado, a investigação começou em outubro de 2009 após denúncia feita por um caminhoneiro. “A testemunha, que teve que pagar R$ 40 de propina, tinha GPS no caminhão. Então tivemos como comprovar o depoimento”, afirmou Galvão. A investigação se estendeu até dezembro de 2010.
Ainda segundo Galvão, alguns empresários vão ser investigados por corrupção ativa, já outros são vítimas do esquema. “Os empresários que não pagavam, sofriam retaliação por parte dos agentes da PRF, como multas e apreensão dos veículos”, disse.
Incompatibilidade de bens
Para o delegado Galvão, existia uma incompatibilidade de bens entre os agentes da PRF. “Um deles acumulou R$ 2,4 milhões em 5 anos , enquanto seu salário rendia R$ 10 mil em um ano”, afirmou.
A operação mobilizou 120 policiais. Os presos foram levados para a sede da Superintendência da PF no Rio, na Praça Mauá, no Centro, e posteriormente para o presídio de Bangu 8. Segundo o delegado Fábio Galvão, os policiais devem ser expulsos da PRF.
Operação Guilhotina
No dia 11 de fevereiro, a PF deflagrou uma megaoperação, chamada de Operação Guilhotina, para prender suspeitos de envolvimento com milícia, tráfico de drogas e armas e exploração de máquinas de caça-níqueis. Na época, foram presas 38 policiais civis e militares suspeitos de diversos crimes.
Entre eles o ex-subchefe operacional da Polícia Civil, delegado Carlos Oliveira. A prisão do delegado acabou provocando a saída do então chefe de Polícia Civil,  Allan Turnowski.
Fonte> G1


Polícia Civil desarticula quadrilhas

Clique para Ampliar
Rommel Kerth, titular da Divisão Antissequestro, mostra a pistola calibre 40 apreendida com 21 cartuchos
FOTO: MIGUEL PORTELA


Entre os presos, está um homem acusado de participação no sequestro de uma mulher e seu enteado, neste ano.

Uma ação conjunta da Divisão Anti-Sequestro (DAS) com a Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) resultou, na tarde de ontem, na prisão de três integrantes de uma quadrilha que planejava assaltar carros fortes e estabelecimentos comerciais em Fortaleza. Um dos detidos, Fagner Nogueira de Lima, 21, também é acusado de ter participado, em fevereiro, do sequestro de uma mulher e seu enteado. Os outros dois foram identificados como Cícero Campos da Silva, 30; e Antônio Jackson Crispim Vieira, 28.

As prisões aconteceram no bairro Montese, no cruzamento da Avenida Gomes de Matos com Rua Padre Cícero. De acordo com o delegado Rommel Kerth, titular da DAS, não houve, no momento da abordagem policial, reação dos criminosos. "Nós tínhamos uma informação de que os três iriam encontrar uma quarta pessoa na área do bairro Montese. Como possuíamos fotografias do Fagner, colocamos várias viaturas da DAS e da DRF procurando pelos bandidos na região", revelou Kerth.

Conforme informou a Polícia, os três acusados circulavam pelo bairro em um Polo de cor prata, roubado e de placa clonada, que foi apreendido. Além do carro, também foi feita a apreensão de uma pistola calibre 40 e 21 cartuchos.

Na Delegacia de Roubos e Furtos, Antônio Jackson, já preso, chegou a se passar pelo seu irmão, Jeffsson Crispim Vieira, apresentando a identidade do mesmo. Os dois possuem características físicas semelhantes. Entretanto, ao procurar pela ficha criminal de Jeffsson, a Polícia notou algumas incompatibilidades . Através de uma fotografia de arquivo, foi possível descobrir a fraude. Questionado, o criminoso confessou a tentativa de não ser reconhecido pelo seu nome verdadeiro.

Segundo Romério de Almeida, titular da DRF, os três acusados serão autuados por formação de quadrilha e porte ilegal de armas. No entanto, em razão do sequestro, Fagner já possuía um mandato de prisão preventiva em aberto. Ele também responde a assalto a mão armada.

Os delegados Almeida e Kerth fizeram questão de ressaltar o trabalho de parceria e prevenção que a Polícia do Ceará vem desempenhando. "É muito importante que as delegacias especializadas trabalhem juntas na investigação de casos como esse. Desta forma, podemos efetuar as prisões de forma mais rápida", disse Kerth. "Com a parceria, podemos cumprir mais facilmente o dever da Polícia, que é de agir antes que o crime aconteça, prevenindo ações dos bandidos", afirmou Almeida.



Fonte>DN

quarta-feira, 23 de março de 2011

Presa dupla que planejava assaltar um carro-forte

Clique para Ampliar
Romério Almeida, delegado titular da ´Roubos e Furtos´ mostra os objetos apreendidos com os dois homens presos. Entre eles, havia um narguilé e uma pistola nove milímetros 
FOTO: ALEX COSTA


Clique para Ampliar
Lucifran Figueiredo Farias já havia sido preso pela PF, por roubo e sequestro, em 2008

Clique para Ampliar
José Carlos Rocha responde por roubo, tráfico e formação de quadrilha 
FOTOS: REPRODUÇÕES



A ação ocorreria na Avenida Francisco Sá. Além dos dois presos, outros assaltantes já foram identificados
Uma operação conjunta entre a Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) e a Coordenadoria de Inteligência (Coin) da Secretaria de Segurança Pública e Defesa da Cidadania (SSPDS), com apoio do Grupo de Operações Táticas Especiais (GATE), resultou, ontem pela manhã, na prisão de Lucifran Figueiredo Farias, 37 anos, e José Carlos Rocha, 43 anos, na praia da Tabuba, distrito de Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza). A dupla estaria articulando, junto à outras pessoas, um assalto a um carro-forte.

De acordo com o delegado Romério Almeida, titular da DRF, a investigação começou há cerca de três semanas. "Recebemos informações de que eles planejavam realizar esse ataque e passamos a acompanhar os passos de Lucifran Figueiredo. Ele estava arregimentando pessoas para atuarem na ação. Apuramos que o assalto iria ocorrer quando o carro-forte estivesse abastecendo em uma agência bancária na Avenida Francisco Sá", explicou.

Ainda segundo Romério Almeida, além de Lucifran Figueiredo, o bando, que teria entre seis e oito integrantes, seria liderado pelos irmãos Juscelino Costa da Fonseca, 30, e Joelino Costa da Fonseca, 28, ambos com passagens pela polícia acusados de assaltos e furtos. "Estamos à procura desses dois suspeitos. Sabemos que Lucifran tem ligações com os dois irmãos", ressaltou.

Com Lucifran e José Carlos foram apreendidos uma pistola 9 milímetros, de uso exclusivo das Forças Armadas e Polícia Federal, uma narguilé (espécie de cachimbo com um fornilho, um tubo e um vaso cheio de água perfumada que o fumo atravessa antes de chegar à boca), algumas gramas de cocaína, um caderno com anotações e um extrato bancário. "Investigaremos as informações do caderno e do extrato para descobrir se havia outros planos do bando e tentar descobrir se houve participação em outros assaltos a carro-forte", explicou o.

De acordo com informações da DRF, a pistola apreendida com a dupla fora adquirida em um assalto realizado em uma residência no bairro de Fátima, em 2010. Na ocasião, quatro homens renderam os sete moradores e levaram TV´s, celulares, notebooks, joias, R$ 6.000,00 e um veículo.

O titular da DRF destacou ainda o trabalho de prevenção realizado. "O novo secretário de Segurança, coronel Bezerra, orientou a Polícia para realizar um trabalho que, não só combatesse ostensivamente, mas também evitasse a ação de grupos como esse", informou.

Além de ser investigados sobre a participação em outros crimes, Lucifran Figueiredo Farias e José Carlos Rocha responderão inquérito por porte ilegal de armas.

Lucifran Figueiredo Farias já havia sido preso em maio de 2008 durante a "Operação Belzebu" realizada pela Polícia Federal. Na ocasião, ele foi capturado junto a mais quatro outras pessoas. A quadrilha era acusada de praticar roubos a bancos e carros fortes e praticar sequestros. Já José Carlos Rocha responde por assaltos, tráfico de drogas e formação de quadrilha em Rondônia.

´MAL-ENTENDIDO´Carro-forte é cercado e tem pneu furado por policiais
"Um mal-entendido". Assim classificou a Polícia sobre a ocorrência no município de Capistrano (situado a 83 quilômetros da Capital), ontem à tarde. Um carro-forte que havia abastecido a cidade e já não conduzia valores, saiu da rota normal e chamou a atenção de moradores do município, que acionaram a Polícia local.

A informação chegou ao Comando de Policiamento do Interior (CPI), que imediatamente mobilizou um efetivo policial para verificar o que estava acontecendo. "Foi uma ação preventiva. Da mesma maneira que o carro-forte estava em segurança, apenas fora da rota normal, poderia haver bandidos ali, fazendo reféns os vigilantes, por exemplo. Tínhamos que agir para evitar o pior", avaliou o coronel João Batista, subcomandante do CPI.

Pneu
O carro-forte foi cercado por policiais e teve um dos pneus estourados por um tiro, para que fosse forçado a parar. "De maneira prudente, os policiais agiram com o objetivo de impedir que o veículo continuasse em movimento. Foi quando tudo foi esclarecido e houve contato com a empresa responsável pelo carro-forte para dirimir qualquer dúvida", disse.

Conforme a 2ª Companhia do 4º Batalhão da Polícia Militar, sediada em Canindé, cerca de 30 policiais e seis viaturas foram deslocadas para a ocorrência, que movimentou a cidade e deixou os moradores apreensivos.

De acordo com a Polícia, o "tiro de segurança" foi disparado contra um dos pneus dianteiros do veículo já no Centro de Capistrano.

AURIMAR MONTEIROESPECIAL PARA POLÍCIA

terça-feira, 22 de março de 2011

´Alex´ e ´Fabinho´ são transferidos para CPPL

Clique para Ampliar
Forte escolta: cercados de policiais por todos os lados, ´Alex Gardenal´ segue na frente enquanto ´Fabinho da Pavuna´ sai da delegacia logo atrás (camisa verde) 
FOTO: NATINHO RODRIGUES


A transferência, realizada na tarde de ontem, foi coordenada pelo delegado Jairo Façanha Pequeno
Sob escolta de mais de 20 policiais militares do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), os sequestradores e assaltantes de bancos e carros-fortes Alexandre Ribeiro de Sousa, o ´Alex Gardenal´; e Francisco Fabiano da Silva Aquino, o ´Fabinho da Pavuna´, foram transferidos, na tarde de ontem, para a Casa de Privação Provisória de Liberdade Agente Luciano Andrade de Lima, a CPPL I, em Itaitinga.

Os dois estavam recolhidos desde a última sexta-feira (18), na Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), no Centro de Fortaleza, após serem recapturados no Maranhão, em uma operação da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Desde as 15 horas de ontem, teve início a movimentação das equipes do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) e do Comando Tático Motorizado (Cotam) em frente à sede da DRF.

Comboio
As 16 horas, após outra ordem dos responsáveis pela operação, a rua foi novamente interditada. A saída do prédio foi rápida. Primeiro ´Alex Gardenal´, que ainda esboçou um sorriso e logo atrás dele, ´Fabinho da Pavuna´. O comboio seguiu rápido em direção à BR-116 e, em pouco mais de 15 minutos, os cerca de 20 quilômetros que separam a DRF da CPPL I, em Itaitinga foram concluídos. Os dois estavam de volta ao presídio.

No entanto, a passagem deles por aquela unidade prisional não deve demorar muito tempo. As autoridades da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) e da SSPDS, trabalham em ritmo acelerado para providenciar, ainda esta semana, o recambiamento da dupla para um dos quatro presídios federais em funcionamento no Brasil.

Enquanto isso não ocorre, os dois permanecerão em celas isoladas e sem comunicação com os demais presos recolhidos na CPPL I, como informou o diretor do Departamento de Polícia Especializada (DPE) e responsável operacional pela transferência realizada ontem, delegado Jairo Façanha Pequeno.

´Fabinho´ já esteve recolhido no Presídio Federal, em Catanduvas, no Paraná. Contudo, em setembro de 2008, depois de 16 meses enclausurado voltou para o Ceará, mas precisamente para o Instituto Penal Paulo Sarasate (IPPS), de onde fugiu misteriosamente, em agosto do ano passado.



Fonte: DN


segunda-feira, 21 de março de 2011

Polícia Civil de Sobral prende traficante



Polícia Civil de Sobral prende um traficante na localidade de Ubaúna, na cidade de Coreaú. Policiais Civis de Sobral sob o comando do Delegado Weidmann de Lima Braga deram cumprimento ao um Mandado de Busca e Apreensão Domiciliar, expedido pelo Juiz e Promotor da cidade de Coreaú, respectivamente, Dr. Hyldon Masters e Dr. Italo. O mandando foi cumprido na residência da pessoa de nome FRANCISCO LEANDRO PORTELA ARAGÃO, nascido aos 04/01/1987. Dentro da residência os policiais encontraram várias pedras de crack e maconha. Francisco Leandro foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil de Sobral para os procedimentos legais.

sábado, 19 de março de 2011

POLÍCIA CIVIL DE SOBRAL PRENDE MAIS UM HOMICIDA



Inspetores da Delegacia Regional de Polícia Civil de Sobral prenderam mais um homicida, a prisão ocorreu na Rua Pintor Lemos, 07. Policiais Civis de posse de um Mandado de Prisão expedido pelo Juiz Titular da 1ª Vara desta Comarca prenderam a pessoa de nome JOSÉ ELENILDO PINTO MESQUITA, V. "PÔDA", nascido em 01/07/1989, por infração ao Art. 121,  § 2º, II e IV do CPB. 

quinta-feira, 17 de março de 2011

Estudante passou sete meses presa por engano

Clique para Ampliar
Carla Gleydiane e seu advogado, Paulo Quezado, esperam a absolvição por inexistência de responsabilidade
FOTO: ALANA ANDRADE





Universitária foi acusada de homicídio. Somente no último dia 11, o verdadeiro culpado confessou o crime
"Foi uma emoção muito grande. Me ajoelhei e agradeci a Deus". Essa foi a reação que a universitária Carla Gleydiane Marques Almeida, 23, teve quando tomou conhecimento da notícia de que o verdadeiro culpado do crime ao qual ela estava sendo acusada e que lhe custou sete meses presa na Cadeia Pública de Crateús (distante 354 Km de Fortaleza), havia sido finalmente detido e confessado o crime.

Na época do fato, Carla cursava Serviço Social quando sua vida tomou um rumo inesperado. Ela foi indiciada, denunciada pelo Ministério Público e pronunciada pela Justiça acusada da morte de Tais Duarte Matos, 16, ocorrida no dia 13 de julho de 2007. Na ocasião, a Polícia Civil encontrou em Carla a única suspeita do crime, pelo fato de ela ter um relacionamento amoroso com a vítima, que foi encontrada morta a facadas.

Aliviada, mas ainda com as tristes lembranças na memória, Carla falou à Reportagem sobre os momentos de angústia que passou desde que foi acusada da morte de Taís.

Humilhações
Com lágrimas nos olhos, ela revelou o drama antes e depois da prisão. "Tomei um susto quando fui presa. Não conseguia acreditar. Passei por humilhações. Meus pais eram chamados de pais da assassina e tiveram que sair da cidade. Mesmo depois que saí da cadeia, quando eu passava na rua, as pessoas falavam: olha a assassina", contou.

Segundo Carla, quatro dias depois do assassinato, ela foi presa quando dormia em sua residência em Crateús, por força de um mandado de prisão. A partir daí, apesar de alegar inocência e não haver provas concretas contra ela, permaneceu recolhida na unidade prisional do município, onde teve problemas hepáticos e só conseguiu sair em fevereiro de 2008.

Depois de recorrer ao Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE), e ter o pedido de liberdade negado, os advogados criminais Paulo Quezado e João Marcelo Pedrosa impetraram um habeas corpus, no Superior Tribunal de Justiça (STJ) que teve como relator o ministro Paulo Galloti.

No dia 12 de fevereiro, o ministro do STJ decidiu pela liberdade da jovem e, desde então, mesmo fora do cárcere ela viveu anos de angústia, incertezas e recursos judiciais tentando provar a sua inocência. Até que, no dia 11 deste mês, o verdadeiro culpado confessou o crime.

Investigação
Diante dos pedidos da defesa e das dúvidas que pairavam sobre o caso, o atual delegado regional de Crateús Ricardo Savu, deu continuidade às investigações, juntamente com inspetores daquela regional. As ações policiais culminaram na prisão de Josimar Alves da Costa, 23.

Segundo o delegado, depois de algumas diligências e de uma denúncia anônima, eles chegaram ao verdadeiro autor do crime. Preso por conta do roubo a uma casa de shows juntamente com um adolescente, Josimar foi interrogado sobre o assassinato da adolescente.

De acordo com a Polícia, ele confessou ter sido autor do crime e apontou outras pessoas que também teriam participado da trama criminosa, entre elas uma mulher que, na época do fato, era adolescente. Conforme as investigações, o crime teve motivações passionais.

Josimar teria cometido o crime por gostar da adolescente apontada como mandante, que por sua vez, seria apaixonada pela vítima e como não era correspondida resolveu orquestrar o assassinato dela. Josimar foi ouvido pelo Ministério Público (MP) estadual e teve a prisão preventiva decretada pela juíza Carla Suziane Alves, da Comarca de Crateús.

Absolvição
Carla ainda aguarda que seu nome seja excluído do processo em que figura como ré. "Esperamos a absolvição por inexistência de responsabilidade", afirmou Quezado. Depois da exclusão, a estudante ingressará com uma ação de reparação de danos contra o Estado do Ceará.

Fonte>DN

Academia de Polícia


Clique para Ampliar
FOTO: JOSÉ LEOMAR


Falta pouco para a inauguração da Academia Estadual de Segurança Pública (AESP). Ontem pela manhã, o secretário de Segurança, coronel Francisco Bezerra, visitou o local e estabeleceu o dia 26 de abril como data da inauguração oficial do equipamento. Ele ressaltou a importância da AESP para o Estado.

"Ela irá contribuir de maneira fundamental para a estrutura da Segurança Pública no Ceará. Ela será o berço da Polícia. Mais uma vez o Estado será pioneiro na integração das polícias Civil e Militar", disse. A AESP poderá receber até 800 alunos simultaneamente e tem início dos cursos previsto para 02/05.



Fonte> Diário do Nordeste

terça-feira, 15 de março de 2011

Presa quadrilha que assaltava restaurantes

Clique para Ampliar
Armas apreendidas: delegado Romério Moreira de Almeida, titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), mostra os três revólveres apreendidos em poder do bando
FOTO: ALANA ANDRADE



O grupo - preso em flagrante por um roubo - está sendo investigado também pela prática de arrastões
A Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) instaurou, ontem, três inquéritos policiais contra uma quadrilha presa na madrugada da última sexta-feira (11), no bairro Cidade dos Funcionários. Na ocasião, os quatro integrantes praticavam um assalto em um restaurante da região e, após troca de tiros, foram detidos em flagrante pela Polícia Militar portando três revólveres de calibre 38.

Em poder da quadrilha, foram recuperados o carro utilizado no crime, telefones celulares, relógios, garrafas de bebidas, dinheiro e uma bolsa. Wagner Barbosa dos Santos, Maurício Gleidstony de Sousa, Rafael de Oliveira Barbosa, os três com 18 anos, e Wanderson Barrosa de Araújo, 21 anos, não tinham antecedentes criminais, entretanto já tinham despertado a atenção da Polícia em suas ações pela cidade.

De acordo com o delegado titular da DRF, Romério Almeida, os quatro serão enquadrados por formação de quadrilha e roubo. "A polícia já estava há algum tempo tentando prender esses indivíduos. Apesar da pouca idade, esse grupo acumula suspeitas de crimes em diversos outros locais" ressaltou.

O próximo passo da Polícia Civil é verificar outras suspeitas em relação à quadrilha. "Pretendemos agora, junto com a Coordenadoria de Inteligência (Coin), iniciar investigações para averiguar a participação da quadrilha em outros crimes na região e por outras áreas da cidades. Dentre o que investigamos está um arrastão ocorrido durante o carnaval em estabelecimentos comerciais da rua Lauro Maia", explicou. "Pedimos ainda que comerciantes e pessoas vítimas de roubo nessas regiões se dirijam à Delegacia de Roubos e Furtos para fazer o reconhecimento e nos ajudar a esclarecer os outros casos", complementou.

Ainda segundo Romério Almeida, as ações do grupo se caracterizavam pela rispidez. "Eles chegavam nos estabelecimentos durante o horário de funcionamento. Nas ocasiões, faziam clientes de reféns, feriam vigilantes e desfalcavam não só o caixa, mas também todos os presentes no local", destacou.

Desde julho do ano passado, os ataques a restaurantes vem preocupando bastante as autoridades da área de Segurança Pública em Fortaleza.

No dia cinco de julho de 2010, dois homens armados roubaram um restaurante na avenida Santos Dumont, no Papicu. Foram levados um computador, uma televisão e pertences de funcionários. Houve perseguição e tiroteio.

Mais
Em dezembro do mesmo ano, bandidos assaltaram outro estabelecimento comercial no cruzamento das Ruas José Lourenço e Joaquim Sá, no bairro Joaquim Távora. Era o terceiro roubo registrado ao mesmo restaurante em apenas quatro meses.

AURIMAR MONTEIRO
ESPECIAL PARA POLÍCIA

Fonte> Diário do Nordeste



Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More