CONTATOS: (88) 3613.1000 / (88) 9 9615.0901 / (88) 9 9696.7018 - Clique AQUI e saiba mais...

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Bandido cearense que comandou atentados no Rio Grande do Norte é transferido para presídio federal no Paraná

Um dos bandidos considerados mais violentos e perigosos do Ceará e da Região Nordeste foi transferido, ontem (8), do Rio Grande do Norte para o presídio federal de segurança máxima de Catanduvas, no Paraná. Ele é apontado como um dos “cabeças” da onda de atentados contra forças de Segurança Pública e transportes coletivos em Natal e outras 30 cidades potiguares nas últimas duas semanas, em represália à instalação de bloqueadores de celulares no Presídio de Parnamirim (RN).

O cearense José Wilson Trajano de Freitas é acusado de uma série de crimes no Ceará e noutros Estados nordestinos, principalmente Rio Grande do Norte, Paraíba e em Pernambuco. Apontado como membro do PCC (Primeiro Comando da Capital) e chefe de uma quadrilha interestadual de assaltantes de bancos, ladrões de cargas, traficantes de drogas e seqüestradores, o bandido foi recapturado no mês passado no litoral Sul potiguar, após uma fuga espetacular na Penitenciária de Alcaçuz, em Natal.

Jaguaribe

A fuga de Trajano ocorreu em junho. Juntamente com outros 32 presidiários, ele escapou da unidade carcerária onde cumpria pena de 16 pelo seqüestro de um empresário norte-rio-grandense. No Ceará, o criminoso é acusado de um “rosário” de crimes no Vale do Jaguaribe, incluindo assassinatos e roubo a bancos.

A longa ficha criminal do banido cearense inclui, inclusive, confrontos com a Polícia. Em deles, em plena BR-116, no Município de Russas (a 163Km de Fortaleza), o bandido recebeu vários tiros de metralhadora num confronto com uma equipe de agentes da Polícia Federal que estavam no seu encalço após um assalto a bancos. Por conta disso, o criminoso passou vários meses preso a uma cadeira de rodas, mas se recuperou e voltou a praticar crimes.

Entre os crimes no Ceará, uma chacina ocorrida na madrugada do dia 3 de junho de 1998, quando seu grupo – comandado pessoalmente por ele – invadiu uma fazenda na zona rural de Tabuleiro do Norte (a 209Km da Capital cearense) e matou várias pessoas em vingança pela morte de um comerciante em Jaguaretama. Trajano foi contratado para comandar a pistolagem.

Sequestros

No Ceará, o bandido foi preso em 2006, numa operação da Divisão Antissequestro (DAS), na época comandada pelo delegado Jaime de Paula Pessoa Linhares, após o seqüestro de um empresário gaúcho, do ramo de fruticultura, na cidade de Limoeiro do Norte (a 205Km de Fortaleza). Na época, o refém passou por vários cativeiros e ficou em poder do bando de Wilson Trajano por 56 dias, até ser libertado pela Polícia cearense, no Rio Grande do Norte. A família foi obrigada a pagar o resgate.

Já no Rio Grande do Norte, Trajano comandou o seqüestro do empresário Fábio Porcino Júnior, o “Fabinho Porcino”, em Mossoró (RN), em junho de 2013. A vítima atuava no ramo de vaquejadas, shows e revenda de veículos. Depois desse seqüestro, Wilton Trajano acabou preso numa operação da Polícia Federal em Macapá, no Estado do Amapá. Após três anos preso, ele fugiu do Presídio de Alcaçuz, até ser recapturado, recentemente, no Município de Canguaretama, litoral Sul do Rio Grande do Norte. De volta á cadeia, comandou os atentados em Natal e no Interior potiguar, por ordem do PCC.

FONTE: BLOG DO FERNANDO RIBEIRO

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More