CONTATOS: (88) 3613.1000 / (88) 9 9615.0901 / (88) 9 9696.7018 - Clique AQUI e saiba mais...

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Ibama multa Cearáportos

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) embargou a atividade de carga e descarga nos berços 7, 8 e 9 do Porto do Pecém, em São Gonçalo do Amarante, e multou a Companhia de Integração Portuária do Ceará (Cearáportos) em R$ 1.500.500. A empresa, administradora do Porto, utilizou berços os 7 e 8 sem ter licença de operação. Os píers atendem majoritariamente à Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP). Especialista afirma que embargo aumentará congestionamento de navios no Porto.

A proibição dura até a obtenção a licença de operação. Em nota, a Secretaria da Infraestrutura do Estado (Seinfra) informou estar a par do embargo e “buscando entendimento com o órgão para reverter a questão o mais breve possível”.

Resolver o embargo é essencial para não causar prejuízo a empresas que atracam no Porto e para a manutenção do estoque de carvão mineral da CSP, explica Heitor Studart, presidente da Câmara Temática de Logística do Ceará e do Conselho de Infraestrutura da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec).

“O maior prejuízo é o funcionamento normal da CSP. Além disso, vai aumentar e muito o congestionamento no Porto. Até meses atrás (outubro) tinham 20 navios à deriva, porque o Porto estava congestionado”, diz. Studart calcula que, em média, um navio paga US$ 15 mil por dia para ficar parado no Porto e os prejuízos de engarrafamentos podem passar dos US$ 100 mil por empresa.

Segundo ele, os terminais atuais já não atendem mais à demanda do Porto. “A situação tem que ser resolvida para que os berços possam ser utilizados. A tendência é que o Porto se torne um dos maiores hubs (centro de distribuição de contêineres)”.


Expansão

As obras da segunda expansão do Porto estão com cerca de 81% de execução, conforme a Seinfra. As obras incluem pavimentação e ampliação do quebra-mar, previsto para o primeiro semestre de 2017. No projeto está construção de três berços de atracação. Estes serão voltados para operação com carga geral e produtos da CSP. Os berços 7 e 8 estão prontos e o 9 está previsto para junho de 2017.

A expansão inclui ponte de acesso ao quebra-mar e transportadores de correia para operação nos futuros terminais de granéis sólidos. Esta fase apresenta 28% e está prevista para o segundo semestre de 2017. O investimento total da ampliação será em torno de R$ 640 milhões (tesouro Estadual e BNDES).

Fonte: O Povo

1 comentários:

destruirão a serra da Meruoca,e nao deu em nada; conta outra;.

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More