CONTATOS: (88) 3613.1000 / (88) 9 9615.0901 / (88) 9 9696.7018 - Clique AQUI e saiba mais...
PREÇO IMBATÍVEL! Vende-se CASA NOVA no Renato Parente. Contatos: (88) 9 9821.6636 / 9 9269.8424. Clique AQUI e saiba mais...

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

"Preferíamos ter morrido junto para não passar esse sofrimento"

Rosangela Maria Loureiro, mulher do meia Cleber Santana – o capitão da Chapecoense morto na tragédia aérea que vitimou quase toda a delegação da equipe catarinense –, revelou nesta quarta-feira que ela, o marido e mais 12 casais fariam uma viagem para Punta Cana, no Caribe, no dia 9 de dezembro. A euforia pela viagem era tanta que as mulheres dos atletas da Chapecoense fizeram uma tatuagem em grupo: todas escolherem o desenho de um pequeno avião, que forma um coração.

Ainda em choque, Rosangela esteve na Arena Condá e contou que havia uma mobilização muito grande das famílias, as mulheres organizaram detalhes da viagem por um grupo no celular. “Falamos sempre. As famílias iriam viajar juntas.”

Rosangela contou que a última conversa com Cleber Santana foi quando ele estava na zona franca do aeroporto de Santa Cruz de La Sierra (Bolívia), onde a delegação da Chapecoense fez escala para pegar o avião fretado da empresa venezuelana LaMia.

“Ele ligou para dizer que tinha achado um óculos que tinha minha cara… e disse que ligava quando chegasse ao destino. De madrugada, recebi uma ligação e achei que fosse ele, mas era a mulher de outro jogador me dizendo que o avião tinha caído… Durante a madrugada comentamos que preferíamos ter morrido todas juntas para não passar esse sofrimento sozinhas.”

Fonte: Topbuzzapp

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More