RASTREADORES SEM MENSALIDADES - FALE COM KELTON: TIM (88) 9 9975.7272 / CLARO (88) 9 9299.9212

PROBANK IMÓVEIS - (88) 3611.3086 / (88) 99990-5068

MENSAGEM NATALINA DA EMPRESA GRENDENE!

quinta-feira, 23 de março de 2017

Morre paciente que teve atendimento negado no HGF

Familiares do idoso passaram o fim de semana buscando atendimento para o paciente.
Morreu nesta quinta-feira (23), Raimundo Nonato de Brito (59), após passar a semana internado no Hospital Geral Waldemar Alcântara (HGWA), no bairro Messejana, em Fortaleza. Familiares do idoso passaram o fim de semana buscando atendimento para o paciente, após sair do Hospital Geral de Fortaleza (HGF) por falta de atendimento. 

O idoso era tetraplégico há 16 anos e sofria com diabetes e hipertensão. Ele passou quatro meses internado no Hospital Geral de Fortaleza (HGF) e recebeu alta na última semana, mas devido a uma piora retornou no final de semana, quando não foi atendido. Na época, a Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), informou que Raimundo Nonato foi prescrito e admitido na emergência. No entanto, foi “dada baixa no sistema após solicitação dos familiares de saída do paciente”. 

Na segunda-feira (19), Raimundo Nonato conseguiu ser internado no Hospital Geral Waldemar Alcântara (HGWA), onde permaneceu até esta quinta-feira. As causas da morte ainda não foram esclarecidas. A Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa) ainda não se manifestou sobre o óbito. 

A família aguarda a retirada do corpo para o velório, que será realizado em Viçosa do Ceará, 348 km de Fortaleza. 

Em nota, a Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), falou sobre o problema de superlotação: 

O Hospital Geral de Fortaleza (HGF) garante atendimento a pacientes da capital e do interior do Ceará, como também de outros estados, em 63 especialidades e subespecialidades. O HGF tem perfil terciário e é referência nos cuidados em patologias de alta complexidade, como Acidente Vascular Cerebral (AVC). O hospital recebe casos em que o tempo de atendimento é fundamental para salvar vidas e minimizar eventuais sequelas.

Na emergência, o acolhimento do paciente é feito de acordo com classificação de risco, que organiza o fluxo de atendimento conforme os casos de urgência e emergência, os quais são priorizados. Uma equipe de oito a dez médicos, dependendo do turno, se reveza na urgência clínica e cirúrgica do hospital.

A Secretaria da Saúde do Estado divulga diariamente, com transparência, a tabela de atendimentos dos hospitais que integram a rede pública do Governo do Estado. Na tabela, estão os números de cirurgias realizadas, internações, altas hospitalares, total de pacientes atendidos na emergência e pacientes que recebem atendimento extraleito. A divulgação é publicada no site da Sesa. De zero hora de quarta, 22 de março, até zero hora de hoje (23), 149 pessoas tiveram atendimento extraleito, com cuidados de especialistas, medicação e exames.

Com informações do portal Cnews

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More