RASTREADORES SEM MENSALIDADES - FALE COM KELTON: TIM (88) 9 9975.7272 / CLARO (88) 9 9299.9212

PROBANK IMÓVEIS - (88) 3611.3086

sexta-feira, 16 de junho de 2017

VIOLÊNCIA: Número de homicídios dispara no Estado com guerra das facções criminosas

O poderio das facções há muito ultrapassou os muros dos presídios e ganhou as ruas do Ceará. O número de mortes alarmante contabilizado neste ano (1.824 assassinatos de janeiro a maio) denunciam que alguma coisa atípica está acontecendo. Diversas autoridades da segurança pública já se manifestaram dizendo que a maioria das execuções são causadas por brigas de facções. A cada confronto, a situação fica mais séria e até uma criança já morreu na guerra travada entre Comando Vermelho e Guardiões do Estado (GDE).

"Essas facções conseguiam viver amigavelmente e compravam droga dos mesmos fornecedores. Houve um racha nacional que refletiu aqui. Os territórios estão sendo novamente conquistados e eles estão brigando para ver quem consegue tomar mais áreas para traficar. A marca do Comando Vermelho (CV) é a violência e eles estão fazendo isso com toda força no Ceará. Por isso as decapitações, chacinas, linchamentos. Querem impressionar pela crueldade", disse uma fonte da inteligência da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Um servidor da Polícia Civil afirmou que está havendo um 'investimento' nacional das facções no Ceará. "o mercado do tráfico aqui é muito promissor, pela proximidade com a Europa. O Comando Vermelho nacional tem mandado muita arma e muita droga para colocar na rua. Partiram para o confronto para tomar essas áreas dos rivais e estão realmente passando por cima de quem se opor".

Conforme a fonte da inteligência, as chacinas ocorridas na praia do porto das dunas e em horizonte foram investidas do Comando Vermelho. "no Porto das Dunas o alvo era o Davi Benigno, considerado o rei dos sintéticos, mas outros cinco foram executados; em Horizonte só uma pessoa era o alvo e outros quatro foram mortos, inclusive uma criança. Foi o CV também que tentou matar o 'João Presinha' com toda família dele, em Aquiraz. Ou seja, não estão ligando para consequências, querem intimidar o inimigo".

Um oficial da PM que trabalha na comunidade do Lagamar, comandada há mais de 20 anos por João Bosco da Rocha, o 'João Presinha', disse que a briga entre ele e o detento Rogério de Almeida Cury, o 'Bocão', já causou 17 mortes, só neste ano. "ambos são traficantes. O 'João Presinha' comanda o Lagamar e representa a gde; o Bocão comanda a Cidade de Deus e representa o CV. Até agora, a grande maioria dos mortos são da gde, mas dificilmente não haverá revide".

Em entrevista coletiva, concedida no último dia 9 de junho, o secretário da segurança pública, André Costa, assumiu que o estado enfrenta dificuldades, em relação ao número de homicídios. "os números falam por si só. É um momento difícil que passamos e não por falta de trabalho e empenho. Trabalho tem tido. São quase 50 prisões por dia no estado".

Importância

De 2016 até agora, representantes da cúpula das facções mais poderosas do Brasil foram localizados no Ceará: em 30 de março de 2016, Alejandro Herbas Camacho Júnior, irmão de 'Marcola', o líder máximo do Primeiro Comando da Capital (PCC), foi capturado pela Polícia Federal; em 21 de abril de 2017, Wayner Matos Magalhães, o 'Pepê', um dos líderes do Família do Norte (FDN), foi executado na Avenida Santos Dumont; em 24 de maio, o braço direito do traficante 'Fernandinho Beira-Mar', líder do Comando Vermelho, foi preso em operação da Polícia Federal; e em 4 de junho, Gilson Miranda Silva, um dos principais financiadores do sindicato do crime, foi preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O trânsito de pessoas com poder dentro das grandes organizações criminosas por aqui não parece ser coincidência. A fonte da inteligência que conversou com a reportagem revelou que depois da expansão das facções, o Ceará se tornou um dos estados mais importantes para o tráfico de drogas no Brasil.

"No Nordeste não tem nenhum estado que tenha mais importância para o tráfico que o Ceará. Podia ter sido diferente, mas até bem pouco tempo a estratégia era negar que existiam as facções. E não era negar para a população, mas para a própria polícia. Enquanto nós trabalhávamos fingindo que estávamos combatendo um crime aleatório, as facções ganhavam tempo e se estabeleciam aqui".

O servidor da SSPDS diz que o sistema penitenciário do Ceará também contribuiu para o fortalecimento das facções. "alguns detentos têm regalias lá dentro, o controle das tornozeleiras é falho, as penitenciárias não suportam a quantidade de gente que recebem. O sistema não tem condição de abrigar presos organizados, com um celular na mão e com dinheiro para mandar fazer o que bem entenderem".

Oficialmente, 93 detentos fugiram das grandes penitenciárias de Itaitinga, em 2017. A fonte da Polícia Civil reclamou da situação. "se a sensação de segurança nas ruas já não é das melhores, imagine com a quantidade de gente perigosa que está fugindo. É desanimador arriscar a própria vida para prender uma pessoa, que quebra um combogó e foge. A polícia tem feito sua parte e não tem culpa se os presos continuam tendo acesso a telefones celulares e vão embora quando querem".


Fonte: Diário do Nordeste

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More