RASTREADORES SEM MENSALIDADES - FALE COM KELTON: TIM (88) 9 9975.7272 / CLARO (88) 9 9299.9212

PROBANK IMÓVEIS - (88) 3611.3086 / (88) 99990-5068

MENSAGEM NATALINA DA EMPRESA GRENDENE!

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Suspeito de atirar e matar PM no Jardim Iracema é preso

Homem foi detido na última sexta-feira, mas apresentou um nome falso para os agentes de segurança.
Uma ação conjunta das Polícias Militar e Civil do Ceará, por meio de investigações da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), resultou na identificação e prisão de Argecilon Lúcio de Sousa Monteiro, de 18 anos, apontado como o autor do disparo que matou o policial militar reformado João Carlos Vasconcelos, de 42 anos. O crime aconteceu no dia 6 de maio deste ano, no bairro Jardim Iracema.

O suspeito foi detido na última sexta-feira (18), durante uma abordagem da Polícia Militar, na Barra do Ceará, na qual o Argecilon, também conhecido como “Pena” ou “Peninha”, se apresentou como sendo Daniel Batista Alves e disse ter 17 anos.

Ele e um adolescente de 15 anos foram capturados e autuados por roubo de veículo. Outros dois adultos foram presos na mesma ocorrência e autuados por porte ilegal de arma de fogo.

Com os quatro, a Polícia apreendeu duas pistolas calibre .380 municiadas, um Fiat Siena vermelho roubado, uma faca, duas balaclavas, celulares e uma quantia em dinheiro, quando foram abordados.

Através do trabalho de investigação da DHPP, Argecilon foi identificado como sendo o autor do tiro que vitimou o PM da reserva João Carlos Vasconcelos. No dia seguinte ao crime, um menor de 17 anos foi apreendido com três armas de fogo, entre elas a que pertencia a vítima e também um revólver calibre 32 utilizado no crime, no mesmo bairro onde ocorreu o latrocínio.

Conforme levantado em investigação, o militar foi abordado por dois jovens armados em uma motocicleta, nas proximidades da casa dele. O PM foi rendido e baleado na nuca. A dupla levou celular e a arma da vítima.

Desde o crime, Argecilon estava foragido e não possuía identificação civil ou criminal, pois o suspeito só possui certidão de nascimento. Ele foi indiciado pelo latrocínio contra o agente de segurança e tinha antecedentes por tráfico de drogas e por ameaça.

Via cnews

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More