RASTREADORES - (MOTO R$ 499 E CARRO R$ 599) FALE COM KELTON: (88) 9 9975.7272 / (88) 9 9299.9212

SEJA UM VENCEDOR! APOSTE ONLINE - APOSTA DE OURO

IMPERDÍVEL! DE 09 A 11 DE AGOSTO DE 2018: 1ª EXPONOROESTE

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Polícia caça advogada e sargento da PM acusados de envolvimento com traficantes do PCC no Ceará

A advogada cearense Alexandrina Cabral Pessoa, 36 anos, e seu companheiro, o sargento da Polícia Milita, Dickson Ferguson Soares de França, estão sendo procurados pela Polícia e pelo Ministério Público Estadual. Os dois fazem parte de uma lista de 14 pessoas denunciadas por envolvimento com o tráfico de drogas praticado por uma quadrilha que seria ligada à facção PCC.

Os dois foram investigados durante dois anos e meio pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Ações do Crime Organizado (Gaeco) e tiveram o sigilo telefônico quebrado. A escuta autorizada judicialmente revelou que o casal estaria associado a traficantes de drogas em Caucaia, Fortaleza e Maracanaú, e praticando o crime de embaraço às investigações em crimes envolvendo organizações criminosas.

Além disso, segundo investigação do Ministério Público, em parceria com os traficantes e chefes de quadrilhas ligadas ao PCC, Leandro de Sousa Teixeira Francisco Márcio Teixeira Perdigão (também seqüestrador e assaltante de bancos), o casal teria subornado o delegado de Polícia Civil, Francisco Enéas Barreira Maia, com uma propina de R$ 20 mil, em abril do ano passado, para beneficiar um traficante preso. O delegado também foi investigado e denunciado criminalmente.

Desapareceu

O resultado da investigação desaguou na “Operação Saratoga”, realizada nesta quinta-feira (14). O casal teve prisão preventiva decretada pelo juiz Magno Gomes de Oliveira, titular da 2ª Vara Criminal da Comarca de Caucaia, mas não foi encontrado durante as diligências realizadas por policiais e promotores de Justiça. A advogada desapareceu da cidade antes do cumprimento do mandado de busca e apreensão em sua residência, na cidade dos Funcionários, em Fortaleza.

O sargento Dickson Ferguson Soares França já tinha antecedentes criminais. Ainda como soldado, foi preso em abril de 2015 de posse de um carro roubado (e placa clonada) e a quantia de R$ 5 mil, juntamente com mais dois PMs. Os três foram flagrados por policiais da Delegacia de Assuntos Internos (DAÍ) da Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos da Segurança Pública e do Sistema Penitenciário (CGD).

A prisão de Dickson e dos dois colegas de farda ocorreu na Praça do Conjunto Polar. Na época foi revelado que eles já estavam sendo monitorados pela Controladoria. A acusação era de que estariam apreendendo carros de criminosos e exigindo dinheiro para liberá-los.

(Fernando Ribeiro)

2 comentários:

Se vierem pra Sobral, uma boa parte some tbm!

tiveram um aviso de alguém de cima pra fugirem mais rápido possível.

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More