RASTREADORES DE MOTOS POR APENAS 10 X R$ 65,00 - FALE COM KELTON: (88) 9 9975.7272/(88) 9 9299.9212

APOSTA DE OURO ONLINE - (88) 9 9768-6881

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Forças Armadas atuarão de maneira 'enérgica', diz ministro

Joaquim Silva e Luna (Defesa) participou de reunião para definir atuação dos militares na greve dos caminhoneiros. Paralisação chegou ao 5º dia nesta sexta-feira.
O ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, afirmou nesta sexta-feira (25) que as Forças Armadas atuarão de maneira "rápida" e "enérgica" para liberar as rodovias bloqueadas por caminhoneiros pelo país (veja no vídeo acima).

Silva e Luna deu a declaração após se reunir com os comandantes de Exército, Marinha e Aeronáutica para definir a atuação dos militares.

Mais cedo, nesta sexta, o presidente Michel Temer afirmou em pronunciamento no Palácio do Planalto que havia acionado as tropas federais para liberar as estradas onde há bloqueios.

"Tão logo o presidente assine o decreto que autoriza o emprego das forças, será empregado. Uma ação rápida, integrada e de forma enérgica como deve ser o emprego de forças".

Após a entrevista de Silva e Luna, o Ministério da Defesa divulgou nota (leia a íntegra mais abaixo) na qual informou como as Forças Armadas atuarão:

Distribuição de combustível nos pontos críticos;
Escolta de comboios;
Proteção de infraestruturas críticas;
Desobstrução de vias e acessos às refinarias, bases de distribuição de combustíveis e áreas essenciais.

"A principal ativadade é preservar as infraestruturas críticas, preservar o movimento dessas áreas mais críticas, particularmente de refinarias - entradas e saídas -, portos e aeroportos, de modo que permita a circulação e evitar o desabastecimento das áreas onde a sociedade já está se ressentindo. Esse é o trabalho que as forças vãofazer", afirmou Joaquim Silva e Luna.

Segundo o Ministério da Defesa, participaram da reunião com o ministro da Defesa:

Eduardo Villas Bôas, comandante do Exército;
Eduardo Bacellar Leal Ferreira, comandante da Marinha;
Nivaldo Rossato, comandante da Força Aérea;
Paulo Humberto, comandante de Operações Terrestres do Exército;
Ademir Sobrinho, chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas.


Proposta de acordo

Após uma reunião de mais de sete horas no Palácio do Planalto, nesta quinta (25), governo e representantes dos caminhoneiros anunciaram uma proposta de acordo para suspender a paralisação da categoria por 15 dias.

Desde o início da semana os caminhoneiros de todo o país têm feito protestos nas estradas contra o aumento no preço do diesel.

Com a paralisação, postos têm ficado sem gasolina, diversos produtos não estão chegando aos supermercados e falta querosene em aeroportos, por exemplo.

Na reunião desta quinta, o governo propôs, entre outros pontos, manter a redução de 10% do diesel nas refinaria e reajustar o preço do combustível com periodicidade mínima de 30 dias.

Essa operação, de acordo com o Ministério da Fazenda, custará à União R$ 4,9 bilhões até o fim deste ano. O valor deverá ser repassado à Petrobras a título de compensação.


Íntegra

Leia abaixo a íntegra da nota do Ministério da Defesa:

Nota à imprensa: reunião do ministro da Defesa com comandantes das Forças Armadas

Brasília, 25/05/2018 - O ministro da Defesa Joaquim Silva e Luna reuniu-se na tarde de hoje com os Comandantes da Marinha, Exército e Aeronáutica, com o seu Chefe de Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas e com o Comandante de Operações Terrestres do Exército para definir as atividades a serem desencadeadas pelas Forças Armadas, a fim de possibilitar o retorno à normalidade das atividades no País.

As Forças Armadas serão empregadas em reforço às ações federais e estaduais, disponibilizando meios em pessoal e material para: distribuição de combustível nos pontos críticos; escolta de comboios; proteção de infraestruturas críticas; e desobstrução de vias e acessos às refinarias, bases de distribuição de combustíveis e áreas essenciais, a fim de evitar prejuízos à sociedade.

O emprego das Forças Armadas será realizado de forma rápida, enérgica e integrada.

Assessoria de Comunicação Social (Ascom) Ministério da Defesa

* Colaborou Gustavo Garcia, do G1, em Brasília

2 comentários:

Temer e seu governo satânico, as forças armadas era pra ser usada era pra tirar tu temer maldito do poder

Kkkkkkk calma pessoal parem de Rebeldia!
Kkk aí ai, as pessoas fazem tanta protesto nao serve para nada.

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More