RASTREADORES DE MOTOS POR APENAS 10 X R$ 65,00 - FALE COM KELTON: (88) 9 9975.7272/(88) 9 9299.9212

APOSTA DE OURO ONLINE - (88) 9 9768-6881

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Após a entrega de novas armas para a Polícia, promotor quer o imediato recolhimento

A polêmica em torno das armas diz respeito à falta de um mecanismo de trava que impeça tiros acidentais. Para o promotor Ricardo Rocha, as regras da licitação foram violadas e permitiu que as armas fossem compradas de uma fabricante alemã.
"O Estado do Ceará parece não despender a mínima atenção para o grave problema que se apresenta”. Com estas palavras, o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), através do promotor de Justiça Ricardo de Lima Rocha, da 26ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público, ajuizou nesta quarta-feira (1º) um pedido à Justiça para que, “com a máxima urgência”, sejam recolhidas todas as armas de fogo entregues ontem pelo governo do estado aos novos policiais civis e militares cearenses.

O pedido reforça a grave denúncia de que as armas adquiridas pelo Estado, pistolas de calibres 9 milímetros e Ponto 40 (.40) não possuem trava de segurança que possam impedir tiros acidentais. A polêmica em torno da compra das armas – fabricadas nos Estados Unidos pela indústria armamentista alemã Sig Sauer – foi objeto de uma Ação Civil Pública impetrada pelo mesmo promotor há sete meses e que ainda não foi analisada pelo juiz da 13ª Vara da Fazenda Pública Estadual.

Sem o julgamento da Ação Civil Pública, que pedia a anulação da compra das armas por ferir as regras impostas pela licitação, o Estado prosseguiu no processo de compra das armas. E nesta quarta-feira, a Secretaria da segurança Pública e Defesa Social realizou uma solenidade para a entrega das novas armas. O titular da Pasta, delegado federal André Costa, ressaltou o investimento do governo e acrescentou que “vai é sobrar” armas, se referindo às recentes denúncias de que os novos policiais civis estavam sem o equipamento para iniciarem o trabalho nas delegacias e nas ruas.

O promotor de Justiça autor da Ação Civil Pública chegou a revelar que, para não perder a licitação e, consequentemente, a venda milionária das armas – estimada em cerca de R$ 4,5 milhões – a fabricante, com o aval do governo do Estado, fez uma “gambiarra” nas pistolas, o que não impede os disparos acidentais.

(Via Cearanews7)

1 comentários:

Porcaria de trava, esse promotor não entende nada sobre armas de fogo, toda arma possui mecanismo que impeça tiros acidentais, essa arma é de melhor qualidade que a nacional tanto é que o exército americano vai utilizá-las,"trava externa" não possui uma função primordial apenas dá ao operador segurança "psicológica", ela(sig P320) utiliza o conceito "Striker Fire" padrão renomado criado por uma das melhores armas de uso policial do mundo a GLOCK, é importante frisar que assim como as Sig Sauer P320, elas não possuem "trava externa" mas possuem mecanismos que impedem disparos acidentais,chamado "trava do percursor" e que ainda tem maior qualidade de funcionamento do que as m***** de armas que a indústria brasileira TAURUS produz para os policiais, que possui "travas externas" mas mesmo assim houveram policiais sendo baleado por disparos acidentais de suas próprias armas e muitos carregam sequelas irreparáveis pra sua vida
muitos até morreram, porém sequer receberam assistência dessa citada fabricante ; Promotor deveria ao menos ter estudado o caso antes de cobrar uma medida autoritária como essa.

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More