CONTATOS: (88) 3613.1000 / (88) 9 9615.0901 / (88) 9 9696.7018 - Clique AQUI e saiba mais...

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Polícia Civil prende mulher suspeita de mandar matar o marido

Polícia civil prendeu, na última terça-feira (21), três pessoas suspeitas de envolvimento no assassinato do professor Edivaldo Ferreira dos Santos, 33. Luziana Barbosa da Silva, 25, esposa da vítima, é apontada pela Polícia como mandante do crime, que aconteceu na sexta-feira (17), em Trairi.

Segundo as investigações, a mulher contou com a ajuda de dois comparsas – um adulto e um adolescente. Um adolescente apontado como quarto envolvido no delito se apresentou na Delegacia de Trairi, no final da tarde de ontem (22), e foi apreendido. Contra ele existia um mandado de busca e apreensão.

Em depoimento, na Delegacia Municipal de Trairi, Luziana confessou todo o planejamento do crime. Ela foi autuada por homicídio, com base no artigo 121 do Código Penal. A morte de Edivaldo foi planejada e comandada por sua própria esposa, com quem conviveu por nove anos. A suspeita escolheu, inclusive, o local e o momento da execução: próximo à casa deles. A filha do casal, de quatro anos, presenciou o crime. De acordo com as apurações, Luziana tinha a intenção de ser beneficiada com a pensão que seria deixada pelo companheiro.


Plano
O plano para tirar a vida do professor requereu dinheiro, comparsas e uma estratégia que não levantasse suspeitas quanto à motivação e à autoria do crime. Então, conforme a Polícia, Luziana teria contratado Francisco Emerson de Castro Viana, 19, que também foi preso.

Os dois se conheceram, há cerca de um mês, na localidade de Pedrinhas, no município de Paraipaba. Ela fez a proposta e ofereceu a quantia de R$ 1 mil ao suspeito, que aceitou. Dias depois, a dupla se encontrou pessoalmente na localidade de Oiticica, onde Emerson apontou um terreno deserto como sendo o local ideal para o homicídio.
Segundo o depoimento de Luziana, ela esquematizou uma simulação de roubo, que deveria ser feito próximo à sua casa. Assim, a descoberta de que tudo se tratava de um homicídio encomendado seria mais improvável. O homem teve a incumbência de conseguir armas, veículos e comparsas e a mulher, por sua vez, foi quem levou Edivaldo para a emboscada. Depois o valor foi mudado e o crime ficou acertado por R$ 1,6 mil.

Na sexta passada, a ordem foi dada: “Tem que ser hoje”. Antes de sair de casa, a mulher combinou toda a ação com o cúmplice. Ficou acertado que ela tiraria o esposo de casa. Ela sugeriu ao marido que todos fossem à casa do pai dele, a pé mesmo, também nas proximidades.

Em depoimento, Emerson confessou sua participação no crime e disse que ele e os outros infratores foram ao encontro da vítima após perceberem um sinal feito pela mulher. A família foi abordada pelos homens, que simularam o assalto. Um dos comparsas mandou Edivaldo deitar no chão e efetuou os três tiros em suas costas. Os criminosos fugiram em duas motos e o professor ficou agonizando. Ele ainda foi socorrido a uma unidade médica, mas não resistiu.

Os suspeitos fugiram em direção à localidade de Boa Vista, em Paraipaba. Emerson foi capturado pelos policiais em sua casa. A ação policial também resultou na apreensão de um revólver calibre 38, dois celulares e duas motocicletas. Em um dos celulares, foram encontradas várias mensagens de texto e de áudio com combinações sobre o homicídio.

Fonte: O Estadoce
Foto ilustrativa

2 comentários:

Uma mulher pilantra e vagabunda vale por dez homens pilantras e vagabundos. Nesse mundo tá cheio delas.....

Uma mulher dessa merece pena de morte. Além de arquitetar a morte do cônjuge, ainda pratica o ato demoníaco na frente da filha. Uma cobra esta mulher!

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More