PROTEJA SEU PATRIMÔNIO: RASTREADORES E BLOQUEADORES VEICULARES SEM MENSALIDADES

TIM (88) 9 9975.7272 / CLARO (88) 9 9299.9212 - Clique AQUI e saiba mais...

domingo, 28 de dezembro de 2014

Violência no Ceará: homem suspeito de matar turista italiana em Jericoacoara é solto por falta de provas

Crime de latrocínio foi descartado na linha de investigação sobre a morte da italiana Gaia Molinari, na praia de Jericoacoara. Agora, estrangeiro é apontado como suspeito
Corpo da italiana Gaia Molinari foi encontrado na última quinta-feira (25) (FOTO: Divulgação)

O homem apontado inicialmente como suspeito da morte da turista italiana Gaia Molinari, de 29 anos, foi liberado pela polícia. Após exames periciais e depoimentos, foi descartada a tese de latrocínio (roubo seguido de morte) na linha de investigação do caso, registrado na praia de Jericoacoara, em Jijoca, paraíso turístico a 287 km de Fortaleza.

Segundo a delagada-adjunta Patrícia Bezerra, da Delegacia de Proteção ao Turista (Deprotur), não houve indícios suficientes para a prisão em flagrante do suspeito. O homem, nativo de Jericoacoara, foi detido na última sexta-feira (26), um dia depois da localização do corpo da italiana.

Morte por asfixia

Laudo da necropsia, divulgado neste sábado (27), apontou que Gaia morreu por asfixia causada por estrangulamento. A turista também apresentava marcas de cordas nas mãos, o que indica que foi amarrada. Ela vestia bíquini e estava com uma mochila nas costas. O laudo não foi conclusivo em relação a crime de estupro.

Gaia, natural de Piacenza, na Itália, havia ido a Jericoacoara no último domingo (21), em companhia de uma amiga que conheceu no albergue em que estava hospedada em Fortaleza, a farmacêutica carioca Mirian França. A italiana desapareceu na quarta-feira (24), véspera de quando deveria voltar a Fortaleza.

O corpo de Gaia será encaminhado a Fortaleza nesta segunda-feira (29), de onde partirá traslado para sua cidade. A família da turista já foi contactada pelo vice-consul da Itália no Ceará, Roberto Misici, que está acompanhando o caso. “Toda a responsabilidade foi dada a gente”, indica.

A linha de investigação da Polícia Civil aponta agora para outro suspeito, que seria estrangeiro. O depoimento de Mirian França, a colega que conheceu em Fortaleza, teria colaborado para essa tese. Porém, para não atrapalhar as investigações, a Deprotur evita passar informações.

Fonte: Tribuna do Ceará

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More