RASTREADORES DE MOTOS POR APENAS 10 X R$ 65,00 - FALE COM KELTON: (88) 9 9975.7272/(88) 9 9299.9212

MAURÍCIO VASCONCELOS - CORRETOR DE IMÓVEIS (88) 99208.8406

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Operações de Inteligência do Batalhão de Choque provocam pesadas "baixas" no crime organizado no Ceará

Em operações coroadas de êxito, o Batalhão de Polícia de Choque da Polícia Militar do Ceará (BPChoque) realizou nas duas últimas semanas importantes ações de repressão à violência no Ceará, provocando importantes “baixas” no crime organizado. O sucesso dessas operações deve-se ao profissionalismo da tropa e à larga experiência de seu comandante no setor de Inteligência.

O trabalho desenvolvido nas operações do BPChoque têm o tom do seu comandante, o tenente-coronel Henrique Bezerra, oficial da PM que já passou por vários setores da Inteligência estadual e possui experiência no combate ao crime organizado. Como é dito na vida militar, “a tropa é o espelho do seu comandante”. E assim tem acontecido. As ”baixas” produzidas no mundo do crime são reflexo da ação de Inteligência daquela unidade de elite da PM cearense.

A primeira prisão importante realizada por Bezerra e sua equipe foi a do traficante e chefe de facção, Auricélio Sousa Freitas, conhecido como “Celinho da Babilônia”, um dos fundadores da GDE (Guardiões do Estado) no Ceará. O bandido, suspeito de ter ordenado dezenas de mortes nos últimos dois anos, foi capturado após dois anos de buscas policiais. Contra ele há mandados de prisão ante a sua liderança no tráfico de drogas e da facção GDE em Fortaleza. “Celinho” foi detido quando transitava em um carro importado (e blindado) pela Avenida Pontes Vieira, nas proximidades da Assembleia Legislativa, no bairro Dionísio Torres.

A segunda prisão aconteceu poucos dias depois, tendo o “alvo” sido um bandido que era caçado pela Polícia desde o começo do ano. Trata-se de Misael de Paula Moreira, o “Afeganistão”, apontado como um dos mentores da chacina no “Forró do Gago”, uma casa de shows no bairro Cajazeiras, na zona Sul de Fortaleza, onde 14 pessoas foram mortas na maior matança coletiva de pessoas já registrada no estado do Ceará, na madrugada do dia 27 de janeiro último. “Afeganistão” foi capturado por policiais do BPChoque próximo ao ginásio poliesportivo do bairro Parangaba.

Ladrão de bancos

Logo na semana seguinte, veio a terceira grande prisão. O homem capturado era um dos bandidos cujo nome constava na lista dos “Mais Procurados” no site da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o assaltante de bancos e carros-fortes Antônio Mardônio Lopes Alves, o “Cancão” cuja quadrilha sob a sua chefia atacou agências bancárias e blindados em cidades da região dos Inhamuns. A base do bando eram as cidades de Crateús e Independência. “Cancão” foi preso pessoalmente pelo coronel PM Henrique e sua equipe de Inteligência no bairro Montese. Usava documentos falsos e estava com a aparência do narcotraficante colombiano Pablo Escobar, já morto.

E na tarde desta quarta-feira (18), equipes do Comando Tático Motorizado (Cotam), do BPChoque, realizaram a prisão de uma quadrilha que vinha aterrorizando moradores do bairro Bom Jardim, localizado na zona Sul da Capital e na Área Integrada de Segurança Dois (AIS-2). Com os três suspeitos foi apreendido um arsenal que era utilizado nos crimes ordenados pelos traficantes chefes de uma facção. (Blog do Fernando Ribeiro)

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More