sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

PM'S DO RAIO APRESENTAM VERSÃO PARA A MORTE DE HOMEM DE 23 ANOS EM TIMONHA, EM GRANJA

Mediante a grande polêmica sobre a morte de Antonio José da Costa, 23 anos, a equipe do blog Camocim Polícia 24h correu atrás e conseguiu junto ao Pelotão do Raio de Granja a versão oficial dos policiais militares como também dos familiares e amigos do homem sobre este fatídico caso. Ressaltamos que o texto a seguir relata a versão dos policiais militares que participaram da ocorrência e o blog está tão somente reproduzindo. Confira:

"Que por volta das 13:30 horas do dia 29 de Janeiro, a equipe da viatura Raio 054 estava patrulhando no distrito de Timonha (distante mais ou menos 80km da sede do município), Zona Rural de Granja, mais precisamente no bairro chamado Babilônia (local de onde recebe-se diversas denúncias anônimas de tráfico de drogas), quando abordaram um homem conhecido por Tonhão Chinês, sobre o qual recaíam denúncias de comercialização de entorpecentes. Antonio estava dentro de um bar bem próximo a sua casa. Os militares então solicitaram que ele saísse do estabelecimento e efetuaram uma busca pessoal na calçada do bar, onde foi encontrado de posse do mesmo uma pequena porção de maconha e alguns sacos de dindin. Diante do flagrante, Antonio recebeu voz de prisão, momento no qual mostrou-se resistente, sendo necessária a utilização das algemas. Em ato contínuo, a equipe dirigiu-se, juntamente com o homem, até sua residência, vizinha ao bar, para pegar algum documento de identificação e vistoriar o imóvel no intuito de verificar se existia drogas, já que o mesmo foi flagrado com uma pequena quantidade de maconha e já haviam diversas denúncias contra ele. Ao chegar na casa, o comandante da equipe determinou que dois policiais ficassem fazendo a segurança do lado de fora do imóvel. Um dos pm’s ficou na esquina próximo à casa e outro ficou na porta. Entraram no imóvel o comandante da equipe e outro policial. Segundo informou o comandante da equipe, ele e o outro policial colocaram o preso sentado no chão em um cômodo da casa algemado com as mãos para trás e, começaram a efetuar buscas no imóvel, sendo que encontraram uma balança de precisão e mais sacolés de dindin, no entanto, não perceberam que o preso havia saído do local o qual haviam deixado. Ao perceberem que Antônio havia saído, começaram a procura-lo dentro do imóvel, pois imaginaram que não havia saído pela frente da casa, já que lá estavam mais dois policiais. Não o encontrando dentro do imóvel, dirigiram-se até o quintal. Vistoriaram um banheiro que lá existe mas este estava vazio. Ao olharem para dentro de uma cisterna naquele ambiente, encontraram Antonio se afogando, ainda se “debatendo”. Com muita dificuldade (segundo os policiais a cisterna tem mais ou menos 3 metros de profundidade, dos quais 2/3 estavam preenchidos com água), dois dos pm’s conseguiram tirar Antônio do reservatório. Os pm’s então começaram a fazer o procedimento de RCP, com massagens cardíacas, em regime de revezamento. Como as manobras não surtiram o efeito esperado, colocaram Antônio no banco de trás da viatura, no colo de um dos pm’s, e o conduziram imediatamente para a UPA de Granja. Ao chegarem nesta repartição de saúde, a médica plantonista verificou que o preso já estava sem vida. Diante da situação, os policiais entraram em contato com a CIOPS para acionar a PEFOCE e dirigiram-se à delegacia de polícia civil onde registraram o fato através de um Boletim de Ocorrências. Segundo os relatos dos policiais envolvidos nesta ocorrência, a cisterna na qual Antonio foi encontrado fica próximo (entre 1 metro e meio a 2 metros) a um muro, onde nele tem um pequeno buraco, provavelmente feito de propósito, para encaixar o pé e facilitar a transposição. E ainda a borda superior do muro próxima a cisterna é a única parte que não tem pedaços de vidro (pega ladrão). Então uma das possibilidades ventiladas pelos policiais foi que Antonio tentou sobrepor o muro, mas como estava algemado para trás, se desequilibrou e caiu dentro do reservatório. Outra possibilidade seria a tentativa de Antonio se esconder na própria cisterna, vindo a afogar-se."

Versão de familiares e amigos 

Já os familiares e amigos negam que Antonio tenha envolvimento com drogas e relataram através das redes sociais que ele era um rapaz trabalhador e que teria morrido durante uma ação dos pm’s do Raio de Granja no distrito de Timonha. Os familiares teriam afirmado que Antonio voltava do trabalho para casa no final da tarde de quarta-feira, 29, quando foi abordado pelos pm’s já em sua residência. Lá ele teria sofrido agressões e depois disso, o mesmo teria ido levado a UPA do município pelos próprios policiais e já teria dado entrada morto. 


Está sendo apurado

Entramos em contato como o Tenente Coronel Eduardo, Comandante 3ªCia do 3ºBPM, o qual nos informou que durante a manhã de ontem, quinta-feira 30, esteve no distrito de Timonha onde foi averiguar pessoalmente os relatos sobre o ocorrido e que o caso será rigorosamente apurado tanto na esfera administrativa como na esfera criminal. O Tenente Coronel Eduardo, por ser o Comandante maior da Polícia Militar na região, fará um relatório circunstanciado dos fatos e em seguida enviará ao Comando Geral em Fortaleza, a quem compete instaurar e nomear um oficial da Polícia Militar para presidir Inquérito Policial Militar visando apurar o suposto crime de natureza militar, portanto, ser da competência da justiça militar e não da comum. Se ao final for comprovado que houve erros por parte dos pm’s, estes serão responsabilizados de acordo com a lei. Da mesma maneira, de acordo com a lei, se ficar comprovado a veracidade da versão dos pm’s, estes serão inocentados.

(Camocim Polícia 24h)

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More