sexta-feira, 30 de junho de 2017

VÍDEO: PMs tomam boca de fumo e vendem drogas no RJ

Gravação mostra policiais assumindo boca de fumo e vendendo drogas no lugar dos traficantes no RJ.
'Perdemos, perdemos', disse um traficante ao ser surpreendido por policiais. Ao todo, vinte mil escutas foram analisadas durante as investigações.

ma das gravações feitas com autorização da Justiça para o inquérito da operação Calabar, que terminou com 66 PMs e 22 traficantes presos nesta quinta-feira (29), no Rio de Janeiro, chocou os investigadores. Nela, é possível identificar PMs tomando uma boca de fumo dos traficantes e assumindo a venda de drogas. Ao todo, vinte mil escutas foram analisadas durante as investigações.

A gravação feita em abril do ano passado, na favela Parada 40, em São Gonçalo, indica que os policiais militares foram cobrar a propina, que estava atrasada, mas, quando chegaram a um ponto de venda de drogas, assumiram o lugar dos traficantes. E, fardados, passaram a vender maconha e cocaína (veja abaixo a conversa entre policiais, criminosos e um comprador).


Traficante: "perdemos, perdemos".


Policial: "deita, deita, deita, deita no chão. Deita no chão p... Pegou o pó?"


Policial 2: "não".


Policial: "tá com ele, tá com ele, tá com ele. Vem, vem, vem, vem, Zequinha. Pode vim. Leva tudo, leva tudo."


Comprador: não, não.


Policial: "p... Leva tudo, leva tudo, vai voltar?"


Comprador: "dá duas vinte (reais) então."


Policial: "dois de vinte (reais), aí ó, pedrão. Vem que vem. Quanto você quer? Três. Três pó de cinco (reais) para o amigo aí. Vai lá, se adianta aí."


Comprador: "desculpa, aí, valeu?"


Policial: suave. "Pode mandar vir que a boca tá vendendo a todo vapor."


A investigação descobriu que o dinheiro era arrecadado toda semana por um intermediário, em pelo menos cinquenta das cem comunidades de São Gonçalo. O ministério público afirma que há uma estreita relação entre a propina paga aos policiais militares corruptos e o aumento dos crimes de roubo e latrocínio (roubo seguido de morte) na região.


"Laranjas podres"

Foi usando a expressão "laranjas podres" que delegado Fábio Barucke, da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, se referiu aos PMs denunciados na maior operação contra a corrupção na Polícia Militar já realizada na história do Rio. Ao todo, 96 policiais militares tiveram mandado de prisão preventiva decretado, assim como 70 traficantes e outros criminosos apontados como integrantes de esquema de corrupção em São Gonçalo, Região Metropolitana.

A ação é realizada por agentes da Polícia Civil, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público (MP-RJ), e da Corregedoria da Polícia Militar. Dos 184 mandados de prisão preventiva, por volta das 18h os agentes já tinham cumprido 63 contra PMs (cinco deles já estavam presos) e 22 contra traficantes (15 presos anteriormente).

Segundo Barucke, armas apreendidas em comunidades de São Gonçalo eram vendidas em outras favelas por policiais corruptos, sem que acontecesse a apresentação dos materiais em delegacias. “Percebemos que essa organização criminosa não deixou de arrecadar os recursos do tráfico de drogas,” destacou o delegado. "Extraímos essas laranjas podres", acrescentou.

Com informações do G1

4 comentários:

esse é bem o retrato do BRASIL atual. com quadrilhas para tudo quanto é lado. começando pelos os governantes. e ainda fica gente querendo barrar, ás nossas policias, para que não investigue...

QUEM SÃO OS "HEROIS"Dessa vez . isso existe em todo o Ceará nem todos mas infeliz existem muitos assim.

Por cá não é muito diferente não!
Em vez de vender eles recebem pra não incomodar.

Esse tipo de pessoa é responsável pela morte de seus colegas

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More