RASTREADORES DE MOTOS POR APENAS 10 X R$ 65,00 - FALE COM KELTON: (88) 9 9975.7272/(88) 9 9299.9212

domingo, 16 de dezembro de 2018

A SALVAÇÃO PELA GRAÇA MARAVILHOSA DE DEUS!


INTRODUÇÃO:

a. A Lei no Antigo Testamento tem a função de instruir e ensinar ao povo o que Deus estabeleceu aos israelitas a fim de eles terem um convívio próspero, pacífico e harmonioso na terra de Canaã.

b. A questão, contudo, foi que o homem não conseguiu cumprir a lei de Deus. Nenhum sequer foi bom suficiente para satisfazer as demandas prescritas, verdade essa comprovada pela morte que atingiu toda a criação:

“Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.” – Romanos 5.12

c. Alguém tinha que cumprir este lado do pacto, para que fôssemos absolvidos da pena da lei. Cristo foi único que cumpriu as justas exigências, e não somente isto: Ele tomou sobre Si a maldição na qual a lei enquadra os transgressores:

“Porque, aquilo que a lei fora incapaz de fazer por estar enfraquecida pela carne, Deus o fez, enviando seu próprio Filho, à semelhança do homem pecador, como oferta pelo pecado. E assim condenou o pecado na carne, a fim de que as justas exigências da lei fossem plenamente satisfeitas em nós, que não vivemos segundo a carne, mas segundo o Espírito.” Romanos 8:3,4 (NVI)


I. LEI E GRAÇA

1. O propósito da lei.

a. A Lei tem o propósito espiritual de mostrar quão terrível é o pecado – “pela lei vem o conhecimento do pecado.” (Rm 3.20) -, bem como o propósito concreto de preservar o povo de Israel do pecado. Mais tarde, a Lei também revelaria quão grande é a necessidade do ser humano, pela graça, obter a salvação, pois era impossível cumprir plenamente a Lei de Deus no Antigo Testamento (Rm 7.19; Tg 2.10).

b. A lei foi entregue para mostrar ao homem justamente a sua total incapacidade de observá-la.

“Pois ninguém será declarado justo diante de Deus por fazer o que a lei ordena. A lei simplesmente mostra quanto somos pecadores.” – Romanos 3.20 (NVT)

“Qual era, então, o propósito da lei? Ela foi acrescentada à promessa para mostrar às pessoas seus pecados.” – Gálatas 3.19 (NVT)

c. A lei foi entregue por causa da transgressão (Rm 5.13). Acerca disso, Martinho Lutero diz que “a lei não ensina o que os homens podem fazer, mas o que os homens devem fazer”.

d. Entretanto, sob o ponto de vista dos aspectos morais da Lei, há princípios que continuam vigorando até os dias atuais. Esses princípios, conforme resumidos no Decálogo – os Dez Mandamentos -, representam nossas obrigações éticas para com Deus e com o próximo (Êx 20.1-17).

e. Sobre isso, Lutero diz que, “a lei me leva até Cristo; Cristo me justifica e me leva até a lei”.

f. O critério aqui não é salvação por mérito, mas o “novo e vivo caminho” proposto por Deus (esforço).

g. A lei é uma dádiva de Deus, pois ela é a luz para caminharmos seguramente neste mundo de trevas. 


2. A Lei nos conduziu a Cristo.

a. A Lei foi uma espécie de guia para encontrarmos a Cristo por meio da graça (Gl 3.24). Ela nos convence, pela impossibilidade de ser cumprida, de que não podemos alcançar a salvação sem Cristo. Desse modo, quando a Lei se faz a própria justiça do homem, como mérito dele, ela se torna depreciativa, impossibilitando o ser humano de alcançar a salvação que só é possível mediante o evangelho da graça de Deus (Ef 2.8).

b. A lei ensina e fala sobre o nosso dever, mas ela não nos capacita à cumpri-la. É aqui que entra o evangelho, a boa notícia, que só pode ser boa se a má notícia for anunciada (por meio da lei) primeiramente. 

c. Quando é revelado este mistério ao homem, o véu é removido, e Cristo converte os corações dos pecadores.


3. A graça revela que a Lei é imperfeita.

a. Paulo constata a superioridade do Espírito em relação à Lei (Gl 5.18) e, que por isso, morremos para a Lei (Rm 7.4; Gl 2.19). Assim, o escritor aos Hebreus revela que a Lei é imperfeita (Hb 8.6,7,13) e o apóstolo João afirma que foi Cristo quem trouxe a graça e a verdade (Jo 1.17). Sim, a graça é superior à lei! Logo, segundo as Escrituras, só existe a Lei por causa do pecado e para apontá-lo: “Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não conheci o pecado senão pela lei” (Rm 7.7).

b. O comentarista da revista errou ao afirmar que a “lei é imperfeita”. A Bíblia diz justamente o contrário:

“A lei do Senhor é perfeita, e revigora a alma. Os testemunhos do Senhor são dignos de confiança, e tornam sábios os inexperientes.” – Salmos 19:7

“De fato a lei é santa, e o mandamento é santo, justo e bom.” – Romanos 7:12

c. Jesus diz que a “Escritura não pode falhar” (Jo 10.35), e que não passará da lei um só i ou um só til, sem que tudo se cumpra (Mt 5:18).

d. Ou seja, não é a lei que é imperfeita, somos nós o problema; a lei (em parte) se tornou antiquada não por causa do seu conteúdo, pois ela apenas mostrava a nossa pecaminosidade, mas porque Cristo a cumpriu, e hoje nós não estamos sob sua condenação.


SÍNTESE DO TÓPICO I 

Lei e graça: a justiça e a misericórdia de Deus.

II. O FAVOR IMERECIDO DE DEUS

1. Superabundante graça.

a. Não há pecador, por pior que seja, que não possa ser alcançado pela graça divina, pois onde abundou o pecado, que foi exposto pela Lei, superabundou a graça de Deus (Rm 5.20). Por meio da compreensão dessa maravilhosa graça, o apóstolo João escreveu: “se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o Justo” (1Jo 2.1).

b. Ou seja, a graça do segundo Adão é maior que o pecado do primeiro Adão. Com efeito, a graça é maior do que o pecado.

4 comentários:

Bela descrição da lei...uma visão equilibrada sobre o assunto. Parabéns.

Realmente é um belo testo ...infelizmente a hipocrisia das pessoas as fazem admirar e não cumprir a mensagem ......sociedade hipócrita !

Meus queridos dos comentários acima, pois tentem conseguir a salvação por obras (fardo pesado), tentem fazer a obra de Cristo em vão. Vão e verás o resultado. Esse fardo de mostrar obra é pesado. A obra é o resultado da Graça, que é um presente imerecido de Deus. Veja o que segue:

Efésios 2 Almeida Revista e Corrigida 2009 (ARC)
A salvação é pela graça
2 E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, 2 em que, noutro tempo, andastes, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que, agora, opera nos filhos da desobediência; 3 entre os quais todos nós também, antes, andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também. 4 Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, 5 estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), 6 e nos ressuscitou juntamente com ele, e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus; 7 para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça, pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus. 8 Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus. 9 Não vem das obras, para que ninguém se glorie. 10 Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More