RASTREADORES SEM MENSALIDADES - FALE COM KELTON: TIM (88) 9 9975.7272 / CLARO (88) 9 9299.9212

PROBANK IMÓVEIS - (88) 3611.3086 / (88) 99990-5068

EVENTU´S BUFFET - (88) 99672.5393 / 99207.1980 / 99207.7000

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Ceará atinge a marca de quatro mil assassinatos em 2017 na guerra das facções

A violência extrapolou os índices de Crimes Violentos, Letais e Intencionais e o estado pode terminar o ano com o registro recorde de mais de cinco mil pessoas assassinadas.
Faltando ainda 72 dias para o fim de 2017, o Ceará chegou, na noite desta quinta-feira (19), à marca de quatro mil Crimes Violentos, Letais e Intencionais, os CVLIs, como assim denominam as autoridades os casos de homicídios, latrocínios (roubos seguidos de morte) e lesões corporais que resultam em óbito. Com uma média diária de 15 casos, o estado poderá terminar o ano com o número recorde de 5.080 pessoas vítimas de assassinato, conforme projeção matemática.

Com o registro de 299 assassinatos em apenas 18 dias, o mês de outubro de 2017 já apresenta, mesmo incompleto, um aumento da ordem de 7,5 por cento em relação ao mês de outubro de 2016 completo, que teve o registro de 278 casos.

E com os 299 crimes ocorridos entre os dias 1º e 19 últimos, o estado chegou aos 4.001 homicídios no ano, faltando apenas 18 casos para se igualar às taxas de 2015, quando foram totalizados 4.019 CVLIs, de acordo com a estatística oficial da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Nas últimas 24 horas, ao menos, 16 pessoas foram mortas no estado, sendo a maioria nas ruas de Fortaleza e da sua região metropolitana. A guerra entre as facções criminosas tem sido a responsável pela elevação desenfreada dos índices de assassinatos no estado, avaliam as autoridades.

Guerra e crueldade

De acordo com os dados estatísticos divulgados pela SSPDS até o mês de setembro, a Capital cearense é, entre as três pesquisadas (Fortaleza, região metropolitana e interior) e a que apresenta o maior volume de assassinatos. Nos nove primeiros meses deste ano, nada menos, que 1.433 pessoas foram mortas nas ruas da cidade. E, em sua maioria absoluta, com o uso de armas de fogo.

Em seguida, vem o Interior, com o registro 924 crimes de morte. E em terceiro, a Região Metropolitana da Capital com 924 casos.

Nos últimos dois meses, a violência ganhou um componente ainda mais grave no quadro da insegurança no estado: os assassinatos com requintes de crueldade determinados pelas facções criminosas. Vítimas da rivalidade entre os grupos são seqüestrados e submetidos a torturas e depois eliminados de forma grotesca. Assim, a Polícia tem registrado quase que diariamente casos de achados de cadáveres decapitados, esquartejados, carbonizados ou apresentando outras formas de crueldade.

Via Cearanews7

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More