CONTATOS: (88) 3613.1000 / (88) 9 9615.0901 / (88) 9 9696.7018 - Clique AQUI e saiba mais...
PREÇO IMBATÍVEL! Vende-se CASA NOVA no Renato Parente. Contatos: (88) 9 9821.6636 / 9 9269.8424. Clique AQUI e saiba mais...

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Lionel Messi é condenado a 21 meses de cadeia na Espanha

Argentino e o pai dele são acusados de sonegar R$ 15 milhões em impostos entre 2007 e 2009.
O maior jogador de futebol da atualidade, o argentino Lionel Messi, foi condenado a 21 meses de prisão na Espanha nesta quarta-feira (6). O motivo é a sonegação de 4,1 milhões de euros (R$ 15 milhões) em impostos.

O pai do craque, Jorge Horacio Messi, pegou a mesma pena pela fraude fiscal. Ainda cabe recurso da sentença no Tribunal Supremo espanhol.

Messi também terá que pagar uma multa de quase 2,1 milhões de euros (R$ 7,7 milhões). O pai do craque, por sua vez, terá que que desembolsar quase 1,6 milhão de euros (R$ 5,8 milhões).

A fraude contra a Fazenda espanhola foi cometida com envio de recursos para paraísos fiscais entre 2007 e 2009. O dinheiro destinado a esses países se referia à exploração dos direitos de imagem do craque.

Em sua defesa durante o processo, Lionel Messi alegou que desconhecia a forma pela qual seus negócios estavam sendo administrados e que se limitava a seguir o que seu pai o aconselhava. "Confio em meu pai", disse na época. Em junho, Messi chegou a depositar 5 milhões de euros (R$ 18 milhões) na conta do Estado e, numa das audiências do caso, foi aplaudido por torcedores fora do tribunal.

A advocacia do Estado pedia uma pena ainda maior para o caso, de 22 meses e 15 dias de cadeia. Mas, o juiz decidiu pela pena menor ao jogador e seu pai. Messi, porém, deverá permanecer em liberdade. Pelo código criminal, penas inferiores a 24 meses podem ser transformadas em multas. Assim, sem histórico na Justiça, o argentino muito provavelmente será beneficiado por este padrão. Alguns juízes, porém, tem optado por manter a condenação como uma forma de dar um exemplo.

Na última audiência, antes da decisão, no início de junho, o procurador do Estado, Mario Maza, chegou a fazer um paralelo do caso de Messi com a máfia. "É o mesmo que o chefe de uma estrutura criminosa", disse. "No topo está o chefe, o que mais manda e não se informa dos problemas. Leo Messi não se ocupava de reuniões com advogados, mas sim de jogar futebol e render nas partidas. Messi só se interessava no resultado final e esse era a não-tributação dos direitos de imagem", completou.

Além de Messi, uma série de jogadores do Barcelona também enfrentam problemas com o fisco espanhol e a Justiça. Um deles é Neymar, em razão da sua polêmica transferência para o clube espanhol em 2013.

Fonte: R7

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More