ATENÇÃO! NÃO PERCA SEU VEÍCULO PARA A BANDIDAGEM!

ADQUIRA JÁ O RASTREADOR E BLOQUEADOR EM TEMPO REAL: FALE COM O KELTON OU LIGUE (88) 99975.7272/99299.9212. CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS

quarta-feira, 20 de março de 2019

Professoras do UNINTA realizam Doutorado na Europa

Em busca de conhecimento especializado, duas docentes do Centro Universitário Inta (UNINTA) atravessaram o oceano e obtiveram o grau de Doutoras. A Diretora do Centro de Carreiras da Saúde, Profa. Dra. Michelle Alves Vasconcelos Ponte e a Assessora Pedagógica da Pró-Reitoria de Ensino e Graduação, Profa. Dra. Silvia Azevedo conquistaram o doutorado em Ciências da Educação pela Universidade de Trás-dos-Montes e Alto Douro, na cidade de Vila Real, em Portugal.

Com a tese defendida no dia 25 de janeiro de 2019, a Profa. Dra. Silvia Azevedo apresentou a sua pesquisa sobre o tema “A Inclusão Escolar de Crianças Com Deficiência Intelectual Baseada no Plano Individual de Apoio Educativo-PIAE”, tendo como orientadores o Prof. Dr. Levi Leonido Fernandes da Silva, a Profa. Dra. Elsa Maria Gabriel Morgado e o Prof. Dr. Dauri Lima do Nascimento.

A Profa. Dra. Michelle Alves defendeu sua pesquisa no dia 31 de janeiro com o tema “O Processo de Adaptação ao Ensino Superior: Fatores Associados ao Rendimento Acadêmico e Qualidade de Vida de Estudantes Universitários” e contou com a participação dos orientadores Profa. Dra. Sandra Celina Fernandes Fonseca, Profa. Dra. Maria Isabel Martins Mourão Carvalhal e Prof. Dr. João José Saraiva da Fonseca.

De acordo com a Profa. Dra. Silvia Azevedo, a escolha do tema se deu a partir da sua experiência como professora. “Em sala de aula eu pude observar, tanto na educação básica, como na graduação e na especialização, as dificuldades encontradas por alunos com deficiência em poder ter acesso aos conteúdos destinados apenas aos estudantes classificados como eficiente ou considerados como sem deficiência na rede regular de ensino, desta forma busquei cientificamente ferramentas para tentar eliminar tais obstáculos”.

Após obtido o grau, a Doutora em Ciências da Educação, comentou sobre o sentimento de se especializar e ao mesmo tempo contribuir para o progresso da sociedade com sua pesquisa.

“Hoje tenho o sentimento de objetivo alcançado, não obstante todas as dificuldades encontradas neste percurso, que todos nós sabemos o quanto é árduo, e a esperança de que a recompensa será a construção de políticas públicas venham subsidiar a atenção à crianças com deficiência intelectual, ocasionando um melhor desenvolvimento dos processos cognitivos e intelectual”, colocou a Profa. Dra. Silvia Azevedo.

A professora Dra. Michelle Alves também explicou de onde surgiu o interesse em pesquisar sobre o tema proposto em sua tese. “Com a minha vivência aqui no UNINTA, eu pude perceber que a graduação apresenta hábitos não ativos, ou seja, quanto maior o tempo do curso, maiores são as chances de o estudante se tornar inativo fisicamente. Nesse sentido, a universidade tem que ser um espaço promotor de vida saudável, disponibilizando áreas para atividades físicas, projetos que estimulem a melhora na alimentação e diminuição de estresse e a minha ideia foi apresentar soluções para este fator de risco”.

A Doutora mencionou em sua tese o importante trabalho realizado pelo Núcleo de Atendimento e Práticas Integradas (NAPI) do UNINTA. “Nós temos aqui na instituição o NAPI, que tem a capacidade de fornecer serviços para a nossa comunidade acadêmica, onde o aluno tem acesso gratuito a nutricionistas, psicólogos, fisioterapeutas, enfermeiros, assistentes sociais e educadores físicos. O NAPI é auxílio fundamental que o UNINTA disponibiliza para tornar mais leve o processo de adaptação dos estudantes com a vida universitária”, explicou.

Ao final, ressaltou o esforço para realizar o sonho de se especializar por uma universidade europeia. “Estudar numa universidade da Europa, além de enriquecer o currículo de maneira disciplinar e modular, nos proporciona também, de forma subjetiva, perceber de onde surgiu o conhecimento e se ver nesse cenário, pois as faculdades lá são centenárias”, finalizou a Professora Doutora Michelle Alves Vasconcelos Ponte.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More