ATENÇÃO! NÃO PERCA SEU VEÍCULO PARA A BANDIDAGEM!

ADQUIRA JÁ O RASTREADOR E BLOQUEADOR EM TEMPO REAL: FALE COM O KELTON OU LIGUE (88) 99975.7272/99299.9212. CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS

quarta-feira, 24 de julho de 2019

Bandido que assassinou PM no seu primeiro dia de trabalho na Corporação é morto dentro de casa

Um dos bandidos responsáveis pela morte de um policial militar, em Fortaleza, foi morto na noite desta terça-feira (23), na zona Leste da Capital. O criminoso estava em liberdade condicional e usava uma tornozeleira eletrônica. Em dezembro de 2007 ele assassinou o PM que iria para o seu primeiro dia de trabalho na Corporação, após ser aprovado no concurso público para o posto de soldado do Ronda do Quarteirão.

Cleílson Moraes dos Santos, o “Ratinho”, estava em sua residência, no bairro Edson Queiroz, quando o local foi invadido, na noite passada, por quatro homens armados e encapuzados, que dispararam vários tiros de pistola. “Ratinho” ainda chegou a ser socorrido pelos familiares e vizinhos para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro, mas não sobreviveu.

No dia 31 de dezembro de 2007, “Ratinho”, juntamente com seus comparsas José Erinaldo Sabino, 21 anos; e Marcondes Alves de Lima, 18, assaltaram e mataram o soldado PM Carlos Henrique de Carvalho Lima, 21 anos, que seguia de carro para o seu primeiro dia de trabalho como policial militar. Ele estava fardado e seguia dirigindo seu carro.

Assassinato

Ao chegar na Rua Professor Wilson Aguiar, próximo à Avenida Paisagística, no bairro Água Fria, ele foi atacado pelos bandidos armados que estavam escondidos nas matas do Parque do Cocó, a poucos metros da Academia de Polícia General Edgard Facó, que funcionava ali perto, ao lado da Universidade de Fortaleza (Unifor). Lá receberia as instruções para seu primeiro dia de patrulhamento.

No entanto, no caminho, sofreu o ataque dos bandidos e foi morto com um tiro no peito, na direção de seu carro. Dias depois, a Polícia identificou e prendeu os três responsáveis pelo assassinato. Eram criminosos moradores da Favela da Baixada, no bairro Edson Queiroz.

“Ratinho” e os comparsas foram condenados pelo crime.

2 comentários:

vagabundo imundo ainda durou foi muito, que sofra nos quintos dos infernos, amaldiçoado.

Um vagabundo com nome de rato não poderia prestar. Já deveria ter ido bem antes pro inferno. Agora ele tá com satanás esperando os outros dois.

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More