terça-feira, 1 de setembro de 2020

Pandemia da bala: Ceará registra o assassinato de 16 travestis em oito meses

Policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investigam a morte de mais um travesti na Grande Fortaleza. Em oito meses de 2020 já são 16 crimes do gênero em todo o estado. O mais recente ocorreu no último fim de semana, quando um homossexual foi executado sumariamente às margens da BR-116, no bairro Pedras, em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

De acordo com levantamentos feitos pela Perícia Forense, o travesti conhecido por “Branca”, cuja identidade civil tinha o nome de Francisco Antônio Silva de Sousa, 37 anos, natural de Santarém (PA), foi atingido com cinco tiros na cabeça. O corpo foi deixado pelos assassinos a poucos metros de um posto de combustíveis onde há várias câmeras de segurança. No momento do crime, por volta de 2 horas de domingo (30), o estabelecimento estava fechado.

Familiares da vítima não sabem, ainda, o que motivou o crime. “Ele não fazia mal a ninguém. Trabalhava, não tinha inimizades”, disse uma irmã de “Branca. Para a Polícia, não restam dúvidas de que se tratou de uma execução sumária, confirmada com a constatação da quantidade de tiros endereçados à cabeça da vítima, eliminando qualquer chance de defesa e de sobrevivência.

“Branca” foi morta no local onde costumava fazer “ponto” e, provavelmente, estava sozinha no momento em que foi abordada pelo assassino.

Balanço

Desde o início do ano, ao menos, 16 travestis foram assassinados no Ceará. Veja a lista das vítimas da violência:

1 – 06/01: A travesti Paola Prado foi morta com disparos de arma de fogo na cabeça, na Rua Pedro Borges, no Centro de Fortaleza. Ela, supostamente, era prostituta, segundo pessoas em situação de rua que estavam no local.

2 – 14/02: Monike Matias Chagas, de 25 anos, foi encontrada morta na cachoeira da cidade de Missão Velha, no Cariri cearense. A travesti estava acorrentada e parcialmente submersa, presa por uma corda ao medidor de nível da cachoeira, segundo a Polícia.

3 – 23/02: Dávila Duarte foi morta durante a madrugada na Rua Quintino Bocaiúva, no Centro de Fortaleza. Segundo a SSPDS, a vítima estava sem identificação, mas o Centro de Referência Janaína Dutra identificou seu nome social posteriormente.

4 – 29/03: Luana Paty, de 39 anos, morreu no Instituto Dr. José Frota (IJF) após ser atingida dois dias antes por disparos de arma de fogo na Rua Carolina Sucupira, no bairro Aldeota.

5 – 16/05: O travesti Francisco Cleiton Silva do Nascimento, conhecido por Bárbara, 33 anos, foi morta dentro de casa, na Rua José Abílio, no bairro Granja Portugal, em Fortaleza. De acordo com a Polícia Civil, o responsável pelo crime foi Mateus Ualefi Lima de Sousa, 20. Ele se

apresentou espontaneamente ao 32° Distrito Policial (Granja Lisboa), um dia após o assassinato, foi ouvido e indiciado.

6 – 06/06: O travesti Francisco Antônio Sousa de Brito, conhecido por Luanna Kelly, de 22 anos, foi morta durante a madrugada no Centro do município de Camocim. Conforme a SSPDS, ela foi assassinada por golpes de um objeto perfurocortante após uma discussão com três homens, os quais foram capturados horas após o crime. Samuel Monteiro de Oliveira (25), Rodolfo da Silva Sabino (25) e Antônio Abreu de Lima (30) são os principais suspeitos.

7 – 22/06: Uma travesti identificado como Francisco Sérgio Domingos da Silva, conhecido por Babalu, de 44 anos, foi assassinada por disparos de arma de fogo no Centro da cidade de Pacajus. Menos de um mês antes, ela já tinha sido atingida por uma lesão a bala, na mesma região.

8 – 11/07: Carol Eleotério da Silva, de 36 anos, foi morta durante a noite na Rua Sabiá, bairro Alto da Brasília, na cidade de Sobral. Segundo informações apuradas no local, ela foi vítima de um disparo de arma de fogo na nuca.

9 – 12/07: Soraya de Oliveira Santiago, de 35 anos, foi encontrada morta à margem da Lagoa da Maraponga. O corpo da cabeleireira estava junto ao de um homem identificado como Francisco Ediberto dos Santos Brasileiro. Segundo a SSPDS, as lesões que levaram ambos à morte foram provocadas por arma de fogo.

10 – 19/07: Rhyanna Mabelly Spanick, de 20 anos, morreu no dia 19 de julho dentro da própria casa na cidade de Iguatu após complicações de uma lesão corporal sofrida em fevereiro deste ano. Ela foi lesionada pelo próprio primo, identificado como Victor Frutuoso Casé, no bairro Primavera.

11 – 03/08: Um travesti identificado como Francisco Elder Batista, 26 anos, foi morto por golpes de faca e tiros na Rua Pedro Cardônio Uchoa, no bairro Bonsucesso, em Fortaleza. O crime ocorreu a cerca de 700 metros de uma unidade da Polícia Militar.

12 – 08/08: Uma travesti identificada como Ludmila Silva, de apenas 15 anos de idade, foi assassinada a tiros na Rua Dallas, no bairro Granja Lisboa, em Fortaleza. Conforme testemunhas, ela entrou em um matagal com dois homens e, minutos depois, foram ouvidos disparos de armas de fogo. Os suspeitos fugiram.

13 – 08/08: Um travesti identificado por Francisco Célio da Silva Coelho, 39 anos, foi morto, a tiros, quando se divertia com amigos em uma mesa de bar na Lagoa da Tanutaba, em Caucaia.

14 – 10/08: Letícia Costa, de 29 anos, foi morta durante a noite, no cruzamento das ruas Jaime Benévolo e Clarindo de Queiroz, no Centro de Fortaleza. Ela trabalhava como garota de programa na região e havia retornado de outro Estado após alguns meses trabalhando fora do Ceará.

15 – 19/08: Daniel Sousa Rodrigues, de 21 anos,conhecido como Daniele, foi encontrada morta em um matagal no bairro Venâncios, próximo ao Cacimbão da Vila José Rosa, no município de Crateús. Ela foi atingida por disparos de arma de fogo.

16 – 30/08: Francisco Antônio Silva de Souza, 37 anos, conhecida por “Branca”, foi morta, a tiros, no quilômetro 16 da BR-116, no bairro Pedras, em Itaitinga, na Regi]ao Metropolitana de Fortaleza (RMF).

(Fernando Ribeiro)

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More