quarta-feira, 16 de fevereiro de 2022

Mãe desesperada busca filha no meio da lama após desabamento em Petrópolis: "Duda, Duda, Duda"

A cidade de Petrópolis está debaixo d’água e debaixo da lama. Moradores convivem com casas que desabaram e com a incerteza sobre a sobrevivência de parentes que não conseguiram sair antes que os imóveis desabassem. O número de mortes passa de 40, de acordo com o Corpo de Bombeiros e a prefeitura.

Mais do que números, são vidas perdidas em meio a tragédia. Nesta terça-feira (15), choveu em Petrópolis durante seis horas o que era esperado no mês todo. Casas vieram abaixo devido às enxurradas, rios transbordaram, veículos ficaram submersos.

Em uma das localidades, a cena que chamou a atenção foi a de uma mulher que procurava pela filha. “Duda, Duda, Duda”, gritava desesperada, com a esperança de que a filha desse alguma resposta. A casa onde a adolescente estava desabou. Havia três pessoas dentro.

A mulher, que mora em Juiz de Fora (MG), contou que além da filha, estavam no local uma tia da menina e uma bebê de um ano, filha de outra moça que não estava na casa na hora do desabamento. Diante do microfone e da câmera da Globo, ela disse que estava perdendo a esperança.

O Corpo de Bombeiros trabalha como pode em diversos pontos da cidade. São mais de 400 homens a serviço na cidade da Região Serrana do Rio de Janeiro. As buscas devem continuar durante todo o dia.

Diante do que viu em Petrópolis, o governador do Rio de Janeiro, Claudio Castro, classificou como uma cenário de guerra. O prefeito da cidade, Rubens Bomtempo, decretou estado de calamidade. O presidente Jair Bolsonaro está em viagem internacional, na Rússia, mas postou mensagem nas redes sociais lamentando o ocorrido.

(i7news)

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More