quarta-feira, 7 de dezembro de 2022

Subprocuradora com salário de R$40 mil reclama de férias de motorista: "peguei uber"

A subprocuradora do Conselho Superior do Ministério Público, Elizeta Ramos, aproveitou a sessão ordinária do Conselho, realizada nesta terça-feira (06), para fazer uma reclamação “bem grande” do serviço de transporte da Procuradoria Geral da República. A subprocuradora manifestou insatisfação com o período de férias do motorista e também por ter ido à sessão de Uber.

“O transporte na Procuradoria não está funcionando (…)Eu perdi meu motorista por causa de férias. Foram dados três meses de férias direto pra ele, eu não entendo bem como que a administração dá três meses de férias para um motorista e não reverte isso”

Elizeta ainda questionou: “será que subprocurador não pode andar de Uber? Claro que pode. Graças a Deus e felizmente. Embora tenhamos muita reclamação em relação a ganhos aqui, na sua administração nós ficamos bem servidos e satisfeitos”, disse se dirigindo ao presidente do conselho, o procurador-geral Augusto Aras.

Apesar da tarifa dinâmica cobrada pela plataforma Uber, na manhã desta quarta-feira, no horário de pico, a corrida entre a Asa Sul e a PGR, trecho percorrido por Elizeta, não chegou ao valor de R$ 20.

A subprocuradora tem um generoso vencimento. Só de salário, são R$ 37.328,65. Soma-se ainda R$ 6.043,61 de “abono de permanência”, mais R$ 4.147,63 de “outras remunerações temporárias” e R$910,08 de “verbas indenizatórias”, fechando em R$43.372,26 de rendimento bruto no mês de outubro.

(Diário do Poder)

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More