CONTATOS: (88) 3613.1000 / (88) 9 9615.0901 / (88) 9 9696.7018 - Clique AQUI e saiba mais...

sexta-feira, 1 de julho de 2016

IJF ficará sem soro antiofídico durante o mês de julho

Segundo a Sesa, o problema não atinge apenas o IJF, mas todo o Ceará, assim como outros estados.
Uma denúncia encaminhada ao Cnews dá conta que o Instituto Dr. José Frota (IJF), zerou seu estoque de soro antiofídico, medicamento usado para tratar mordidas de cobras venenosas. O remédio é feito a partir de anticorpos retirados do próprio animal. De acordo com o denunciante, existem apenas quatro ampolas do soro e apenas um paciente picado, utiliza em média dois tubos. 

De acordo com informações apuradas por nossa reportagem, durante todo o mês de julho, não haverá abastecimento do medicamento para a unidade. Segundo a Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), o problema não se restringe ao IJF. Todo o Ceará será afetado e outros estados também, pois o abastecimento depende de um repasse do Ministério da Saúde, que não será feito no mês citado anteriormente. 

Procurado, o IJF confirmou que está com carência do soro, assim como todos os outros hospitais do estado que tratam do problema. 

Uma nota divulgada pelo Ministério da Saúde comunica que os soros antivenenos são fornecidos por laboratórios produtores oficiais: Instituto Butantan, Instituto Vital Brazil (IVB), Fundação Ezequiel Dias (Funed) e Centro de Produção e Pesquisa de Imunobiológicos (CPPI). Ainda, segundo o órgão, existe um cronograma de acompanhamento para a entrega do medicamento em todo o Brasil, mas uma série de problemas apresentados pelos laboratórios atrapalhou o processo. 

Entre as justificativas, estão furto de animais, problemas no abastecimento de matérias-primas e problemas na produção do soro.

“Por fim, diante da difícil situação na produção dos soros no país, reforça-se a necessidade do cumprimento dos protocolos de prescrição, a ampla divulgação do uso racional dos antivenenos e a alocação desses imunobiológicos de forma estratégica em áreas de maior risco de acidentes e óbitos. Para evitar o total desabastecimento, é importante manter a rede de assistência devidamente preparada para possíveis situações emergenciais de transferências de pacientes elou remanejamento desses imunobiológicos de forma oportuna", diz o Ministério, em nota.

Com CNEWS
Foto ilustrativa

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More