RASTREADORES DE MOTOS POR APENAS 10 X R$ 65,00 - FALE COM KELTON: (88) 9 9975.7272/(88) 9 9299.9212

sábado, 21 de abril de 2018

Padre ameça Promotor de Justiça: “Há de queimar no quinto dos infernos”

Segundo Douglas Chegury, áudio com a ameaça foi feito por Waldson de Melo, um dos acusados de desviar R$ 2 milhões da igreja.
A Justiça há de pagar e esse promotor há de queimar no quinto dos infernos”. A ameaça está gravada em áudio atribuído pelo promotor do Ministério Público de Formosa, Douglas Chegury, ao padre Waldson José de Melo.

O religioso da cidade de Posse (GO) foi preso durante a Operação Caifás, acusado de participar de um esquema de desvio de dízimos, doações e taxas pagas à igreja. O prejuízo seria de R$ 2 milhões. Segundo o MPGO, o grupo utilizou parte dos recursos para comprar fazenda, imóveis, carros de luxo e até uma casa lotérica em nome de terceiros.

Procurado para comentar o caso, o promotor disse não se sentir ameaçado, mas lamentou o tom da declaração. “Não condiz com o comportamento esperado de um religioso, que deveria pautar sua vida nos ensinamentos cristãos e da mãe igreja”, disse ao Metrópoles.

Na conta pessoal do padre Waldson, de acordo com as investigações, foram bloqueados pela Justiça R$ 388 mil. O dinheiro seria referente a dízimos, taxas de batismo e de casamento pagos por fiéis à paróquia de Posse.

Ouça o áudio atribuído pelo promotor ao religioso:


TJGO concede habeas corpus

Procurada pela reportagem, a defesa do religioso disse que só iria se manifestar após conversar com o cliente. O padre foi solto na noite de terça-feira (17/4), juntamente com o bispo Dom José Ronaldo e outros cinco acusados na Operação Caifás. A liberação ocorreu após concessão de habeas corpus por parte do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO).

Os outros beneficiados com a liberdade foram o monsenhor Epitácio Cardozo Pereira, os padres Mário Vieira de Brito e Moacyr Santana, além dos empresários Antônio Rubens Ferreira e Pedro Henrique Costa, apontados como laranjas do esquema.

O juiz eclesiástico Thiago Wenceslau de Barros permaneceu preso, pois o pedido do HC dele ainda não foi analisado pela Justiça. A expectativa, contudo, é que ele também consiga o benefício.

Um vídeo que circula no YouTube mostra o momento em que os religiosos deixaram o presídio estadual da cidade goiana, no Entorno do DF, e foram recebidos com cânticos por familiares e fiéis.

Confira:

Fonte: Metrópoles

1 comentários:

Cara , nesse Brasil não podemos confiar nem em padre ....Sinto dizer meus amigos , mas esse não tem salvação.

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More