ATENÇÃO! NÃO PERCA SEU VEÍCULO PARA A BANDIDAGEM!

ADQUIRA JÁ O RASTREADOR E BLOQUEADOR EM TEMPO REAL: FALE COM O KELTON OU LIGUE (88) 99975.7272/99299.9212. CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS

terça-feira, 19 de março de 2019

"Don Juan" cearense é preso pela 2ª vez por estelionato

João Luiz Melo de Sousa foi preso em Santos (SP); A Delegacia Investigação Geral Santos (DIG) já estava investigando o homem.
O homem conhecido como “Don Juan” cearense foi preso novamente, em Santos, nesta segunda-feira (18), por acusações de estelionato. João Luiz Melo de Sousa, 51, é natural de Pedra Branca, a 261km de Fortaleza, e ficou conhecido por enganar mulheres para subtrair dinheiro delas. O golpista já fez vítimas no Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás, Distrito Federal e Ceará. 

Segundo o investigador-chefe da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Santos, Paulo Carvalhal, encarregado pelo caso, João Luiz já estava sendo investigado e foi capturado em flagrante portando documentos falsos. O estelionatário permanece preso na cadeia anexa ao 5º Distrito de Santos e a acusação aguarda os depoimentos das vítimas. 

Uma das mulheres que sofreu golpe do “Don Juan” ajudou na operação da polícia local, que durou cerca de 12 horas. João Luiz chegava a Santos quando foi parado pela comitiva. “Tínhamos informações de que ele estava agindo na baixada santista, e fizemos o levantamento de onde ele estava no dia. Ele se apresentou com outro nome e foi preso em flagrante por porte de documentos falsos”, relata o investigador-chefe. 

O golpista estava em liberdade desde 2018, após ter sido preso em 2016 pelas mesmas acusações. “É o mesmo modo operante, agia da mesma forma. Usava redes sociais, conseguia conquistar as mulheres e dava o golpe”, reforça Paulo Carvalhal. 

Vítimas 

“Nada do que ele dizia era verdade”, relatou uma das vítimas, que preferiu não ser identificada, ao Sistema Verdes Mares. “Ele falava que trabalhava na Agência Brasileira de Inteligência (Abin), que era oficial do Exército. Que estava sem salário, sem nada, e foi ficando aqui. Não pagava nada, comia de graça, tinha roupa lavada, e ficava na Internet 24h por dia, sempre ‘a trabalho’”, relembra a mulher de 47 anos. 

Na cidade paulista, 13 mulheres que caíram no golpe de João Luiz se uniram e criaram um grupo nas redes sociais. À medida em que denúncias aparecem, novos grupos são formados. Segundo a vítima, as mulheres escolhidas por João eram sempre de “nível superior, com uma espiritualidade aguçada” e sozinhas. 

“Nunca pensei que fosse agradecer a Deus por não ter dinheiro. Tenho apenas um imóvel e algumas dívidas. Ele sempre falava que tinha a pensão do filho para pagar e eu cheguei a pedir dinheiro emprestado no banco, R$ 1 mil, e dei para ele”, conta. 

De acordo com Carvalhal, o “Don Juan” cearense responderá, agora, pelo artigo 171 do Código Penal Brasileiro, que dispõe sobre estelionato: a obtenção, “para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento”. A pena é reclusão de um a cinco anos, mais multa.

(Diário do Nordeste)

1 comentários:

um bandido deste e pra estar preso na cadeia não e achando grassa não e devolver todo dinheiro que ele robou das pessoas

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More