quinta-feira, 16 de abril de 2020

Pediatra do Hospital Regional Norte orienta sobre cuidados durante a amamentação

Idosos e pessoas com doenças crônicas, como obesidade, diabetes e hipertensão, estão mais suscetíveis a complicações relacionadas ao coronavírus. Apesar de não fazerem parte do grupo considerado de risco, gestantes e crianças também devem colocar em prática alguns cuidados.

No Hospital Regional Norte (HRN), do Governo do Ceará, as mães recebem diversas orientações. “A recomendação é a mesma para todas as viroses respiratórias. Evitar visitas, principalmente de pessoas gripadas, e lavar bem as mãos antes de pegar o bebê. Caso a pessoa doente realmente precise cuidar da criança, é preciso fazer o uso de uma máscara comum”, afirma a coordenadora médica da Neonatologia do HRN, Renata Freitas.

Higiene na amamentação

Antes de amamentar, as mulheres devem lavar as mãos e as mamas. Aquelas que apresentam sintomas gripais ou alguma doença respiratória podem amamentar normalmente. Nesses casos, basta tomar alguns cuidados. Quando não estiver amamentando, a mãe precisa manter uma distância de pelo menos dois metros no bebê. Já na hora de amamentar, ela deve colocar uma máscara.

“Recomendamos o leite materno para que os anticorpos de defesa possam ser ingeridos pelo bebê. Caso a mãe se sinta insegura mesmo com as orientações, pode desmamar manualmente, ou por meio de algum dispositivo, e ofertar o leite ao bebê com a ajuda de outra pessoa”, explica.

Serviços médicos

Devido à recomendação de isolamento social, as famílias devem ir a unidades de saúde apenas em casos de extrema urgência. Febre acima de 37,5°C, respiração rápida e cansada forçando as costelas, recusa em mamar, lábios arroxeados e irritação extrema são alguns sinais de perigo em bebês.

“Nessas situações, os pais devem procurar o serviço de saúde e informar quais alterações eles identificaram no recém-nascido. É bem provável que o bebê fique internado para fazer exames e outros tratamentos. Quanto menor o bebê, maior a preocupação com doenças graves”, avalia.

(Ceará HRN)

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More