BLOG SOBRAL 24 HORAS - MAIS DE 207 MILHÕES DE VISUALIZAÇÕES

quarta-feira, 29 de julho de 2020

A blindagem das togas

A Lava-Jato devastou o Congresso, implodiu governos, mas não consegue alcançar a cúpula do Judiciário. Em acordo de delação, Sérgio Cabral relatou pagamento de propina a dois ministros do Superior Tribunal de Justiça. O ex-governador indicou o caminho do dinheiro, mas seu depoimento vai adormecer para sempre numa gaveta brasiliense.

O caso foi sepultado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli. Como revelou o repórter Aguirre Talento, o ministro arquivou três inquéritos da delação de Cabral. Ele tomou as decisões sem alarde, em dobradinha com o procurador-geral da República, Augusto Aras.

Ontem a colunista Bela Megale revelou novos detalhes da história. Cabral afirmou à polícia que o empresário Orlando Diniz, um dos próceres da República de Mangaratiba, repassou R$ 25 milhões ao filho do ministro Humberto Martins. Trata-se do presidente eleito do STJ, com posse marcada para o próximo dia 27.

O ex-governador também delatou o ministro Napoleão Nunes Maia, que se aposenta em dezembro. Martins disse que não tem “nada a declarar”, e Maia nem se deu o trabalho de responder. Com a decisão de Toffoli, vai ficar tudo por isso mesmo.

A delação de Cabral foi fechada com a Polícia Federal e homologada pelo ministro Edson Fachin. Como manda o regimento, ele encaminhou o caso ao presidente do Supremo para o sorteio de um novo relator. Para a surpresa de colegas, Toffoli preferiu ouvir Aras, que comunicou seu desinteresse em investigar a história. O ministro é um cavalheiro e atendeu ao desejo do procurador.

Na prática, a decisão de Toffoli pode enterrar a possibilidade de qualquer nova delação à PF. Com o aval do Supremo, a polícia já havia fechado acordos com figurões como o ex-ministro Antonio Palocci, o publicitário Duda Mendonça e o empreiteiro José Antunes Sobrinho. Essas colaborações não dependiam de licença da Procuradoria. Até que esbarraram em togas ilustres.

Fonte: Blogs O Globo

1 comentários:

Estamos fudidos..
Achavam que os políticos eram nosso maior atraso ..... De uns anos pra cá vemos que o maior câncer da nação brasileira é o judiciário militante

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More