domingo, 20 de setembro de 2020

Ernesto Araújo rebate Maia: “Só teme a parceria Brasil-EUA quem teme a democracia.”

O ministro Ernesto Araújo (Relações Exteriores) reagiu neste sábado às críticas do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), à visita do secretário de Estado americano, Mike Pompeo. Maia disse se tratar de “afronta”. Ernesto e Pompeo se encontraram nesta sexta-feira (18) em Boa Vista, em Roraima. Eles visitaram o projeto Acolhida, que atende venezuelanos refugiados que deixam o país comandado pelo ditador Nicolás Maduro. Durante a visita, Pompeo afirmou que “vamos tirar Maduro de lá”.

“A visita do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, nesta sexta-feira, às instalações da Operação Acolhida, em Roraima, junto à fronteira com a Venezuela, no momento em que faltam apenas 46 dias para a eleição presidencial americana, não condiz com a boa prática diplomática internacional e afronta às tradições de autonomia e altivez de nossas políticas externa e de defesa”, escreveu Maia, em nota.

Em comunicado publicado no site do Ministério das Relações Exteriores, o chanceler brasileiro disse que a nota de Maia, divulgada no dia anterior, “baseia-se em informações insuficientes e em interpretações equivocadas”.

O chefe máximo da diplomacia brasileira começa afirmando que o povo brasileiro é solidário com os vizinhos e que a Operação Acolhida seria um sinal desse comportamento. “O povo brasileiro preza pela sua própria segurança, e a persistência na Venezuela de um regime aliado ao narcotráfico, terrorismo e crime organizado ameaça permanentemente essa segurança. O povo brasileiro tem apego profundo pela democracia e o regime Maduro trabalha permanentemente para solapar a democracia em toda a América do Sul”, disse.

1 comentários:

Pois explique a "obrigatoriedade" do Brasil ter que comprar etanol dos americanos, enquanto os usineiros Brasileiros amargam prejuízos em suas produções?

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More