quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Incêndio destrói área equivalente a cinco campos de futebol em reserva ambiental em Sobral

Um incêndio destruiu a vegetação de um trecho correspondente a cinco campos de futebol na Área de Preservação Ambiental (APA) Pedra da Andorinha, na Serrinha de Taperuaba, em Sobral, Norte do Ceará. Para controlar as chamas, que iniciaram às 14h de segunda-feira (19), os bombeiros usaram 400 litros de água, além de abafadores e bombas costal anti-incêndio e carros-pipa.

De acordo com o major Mardens Vasconcelos, da 1ª Companhia de Bombeiros, as chamas foram controladas por volta das 17h de terça-feira e destruiu cerca de cinco hectares, correspondente a cinco campos oficiais de futebol.

“O combate ao incêndio iniciou na segunda, com a nossa equipe atuando de forma a debelar as chamas que se aproximavam das residências e da estrada. Na terça [20 de outubro] estivemos durante todo dia (de 8h às 17h) nos focos que estavam na parte mais interna da APA. Quando a equipe saiu de lá só restavam alguns focos que estavam bem próximos da encosta da serra. A área atingida foi de cinco hectares”, afirmou.

Quatro agentes do Corpo de Bombeiros, uma equipe de reforço com oito funcionários da Autarquia Municipal do Meio Ambiente (AMA) e um caminhão pipa foram enviados, nesta quarta-feira (21), ao local para evitar novos focos de incêndio.

Focos de incêndios recentes

Além de Sobral, outras cidades registraram ocorrências de incêndio nesta segunda-feira. Houve registros em Iguatu, Tianguá, Meruoca e Aquiraz. Nestes locais, segundo o Corpo de Bombeiros, as chamas foram controladas. Somente em Iguatu, conforme o tenente-coronel Nijair Araújo, comandante do 4º Batalhão de Bombeiros Militar em Iguatu, ainda merece atenção devido a pequenos focos isolados.

“Não houve mais solicitações para lá. Ainda há pequenos focos isolados. Não há perigo para área residencial. Fizemos o isolamento ainda ontem [segunda-feira]. Se o fogo retornar, voltará para a cicatriz do incêndio, área já queimada e não atingirá os apartamentos”, explicou.

Estado de emergência ambiental

O governador Camilo Santana decretou em julho estado de emergência ambiental no Ceará devido ao maior risco de incêndios florestais e queimadas no segundo semestre do ano. A medida foi publicada no Diário Oficial e fica válida até janeiro de 2021.

Esta foi a primeira vez na histórica que o Ceará decretou estado de emergência ambiental para combate aos incêndios florestais. Geralmente, a medida ocorre para outras adversidades, como escassez hídrica ou inundações.

Com a decisão, a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) pode contratar brigadistas ambientais para atuação nas 28 unidades de conservação estaduais. As previsões de períodos mais críticos se dão, normalmente, através de portarias do Ministério do Meio Ambiente (MMA) ou decretos federais.

Fonte: G1/CE
Foto Vc Repórter

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More