segunda-feira, 21 de março de 2022

Proibido de usar celular, menino de 13 anos mata mãe e irmão

Em Patos, no sertão da Paraíba, um garoto de 13 anos confessou ter matado a mãe e o irmão a tiros. O caso aconteceu neste sábado (19). De acordo com o depoimento, ele cometeu o crime porque foi proibido de usar o celular para jogar e conversar com os amigos. As informações são do portal G1.

A mãe do menino tinha 47 anos e o irmão mais novo dele, 7 anos. O pai tem 57 anos e está gravemente ferido.

Além de ser proibido de usar o celular, o garoto estaria sendo pressionado para tirar notas boas nos exames escolares.

O menor foi apreendido pouco depois do crime. Ele foi levado para a Delegacia de Homicídios e Entorpecentes da Polícia Civil de Patos e prestou depoimento na presença de uma advogada e de uma parente.

O delegado Renato Leite, que está responsável pelo caso, afirmou que já é possível fazer uma reconstituição dos fatos.

O CRIME

O pai do menino é um policial militar reformado. No sábado, ele foi à farmácia comprar um remédio para a esposa. Porém, pouco antes de sair de casa, tirou o celular do filho.

Quando voltou, o homem encontrou a esposa morta, baleada quando estava deitada. E o filho estava com a arma na mão.

O policial reformado pediu que o garoto soltasse o revólver, mas acabou sendo alvejado no tórax.

O irmão pequeno correu para abraçar o pai e levou um tiro nas costas.

O autor dos disparos chamou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Inicialmente, ele negou ter praticado o crime.

A polícia achava que o menino tinha sobrevivido a uma chacina. No entanto, ele acabou sendo apontando como suspeito após as investigações.

O menino está na carceragem da Polícia Civil de Patos e aguarda audiência de apresentação. Depois da apreciação judicial, ele deve ser ser enviado para o Centro Especializado de Reabilitação de Sousa. (Pleno News)

(Foto ilustrativa)

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More