quinta-feira, 26 de maio de 2022

Morto no Rio seria mandante de ataques a agentes de segurança

Um dos mortos na operação realizada na Vila Cruzeiro, Zona Norte do Rio de Janeiro, na última terça-feira (24), foi Mauri Edson Vulcão Costa, conhecido como Déo. Ele era apontado como o mandante de mais de 20 ataques a agentes de segurança no estado do Pará nos últimos 30 dias, sendo que 16 deles terminaram com agentes mortos.

Os ataques no estado da Região Norte teriam sido realizados a partir de ordens dadas por Déo justamente a partir do Complexo da Penha, onde ele se fixou ainda em 2020. De acordo com informações divulgadas pelo jornal O Globo, os atentados seriam uma represália ao tratamento dispensado aos detentos da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) do Pará.

A Polícia Civil informou que Déo ordenou 14 crimes apenas na última semana, entre eles a execução de um militar da Aeronáutica, morto dentro de um ônibus, e de um sargento da PM em Moju, também no Pará. Ele respondia atualmente a 23 processos pelos crimes de homicídio, associação para o tráfico e tráfico de drogas.

Déo ainda teria sido o responsável pela migração de criminosos oriundos do Pará para o Rio de Janeiro, como Eraldo de Novaes Ribeiro, que também foi morto na operação na Vila Cruzeiro. Ribeiro respondia a 11 ações penais pelos crimes de roubo majorado pelo emprego de arma de fogo, tráfico, homicídio e porte ilegal de arma de fogo. (Pleno News)

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More