quarta-feira, 8 de junho de 2022

Preso ganha direito à liberdade, mas pede para ficar até o jantar

Um jovem de 20 anos, chamado Luan, preso por roubar um celular durante o fim de semana, conseguiu o direito à liberdade, mas surpreendeu a juíza, o promotor e a defensora pública ao pedir para ficar na prisão até a hora do jantar.⠀

De acordo com o jovem, ele tinha medo de passar mal na rua por causa da fome. Ele foi preso em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais, após coagir uma mulher a lhe entregar o celular, com o uso de uma faca.

O rapaz foi preso pela Polícia Militar, encaminhado à delegacia de Polícia Civil e, posteriormente, ao presídio.

O promotor do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), Luciano Sotero Santiago, se manifestou no processo pela soltura de Luan, estabelecendo medidas cautelares para que ele responda em liberdade sem oferecer risco à população.

– Para pedir uma prisão preventiva, cautelar, há alguns requisitos. Não havia indicativo de que ele ia fugir, e não tinha risco de ele destruir uma prova ou ameaçar a vítima, porque já tinha confessado o crime. Ele era réu primário, não tinha antecedentes – explicou.

A audiência de custódia foi realizada no domingo (5) de forma virtual. Ao final, Luan fez o apelo.

– Antes de eu ir embora, será que consigo esperar para eu jantar? Meu corpo tá muito fraco, não dormi nada essa noite, vou ter que pegar ônibus para ir embora. Só depois da janta eles me liberarem, para eu não passar mal na rua – disse.

A juíza Elaine de Campos Freitas tranquilizou o rapaz, garantindo que daria tempo para a refeição.

– Luan, não precisa preocupar, não, isso demora um pouquinho ainda. Pode ficar tranquilo que dá tempo de você jantar – respondeu a magistrada. (Pleno News)

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More