sábado, 3 de setembro de 2022

Pelos filhos, pai venceu o vício em drogas após 10 anos de luta

Este pai venceu o vício em drogas porque já tinha passado muito tempo sofrendo, seguindo um caminho de angústia e criminalidade, e resolveu que era hora de aproveitar seus filhos.

Hoje você vai conhecer a história do norte-americano Hunter Michael Shepard, que percorreu uma longa jornada no mundo das drogas, vivendo uma experiência de quase morte.

Ele foi salvo pela própria mãe e ganhou a oportunidade de renascer para uma família linda e amorosa.

Com apenas 12 anos de idade, Michael experimentou álcool e maconha. Na adolescência, o uso de ambas as substâncias passou a ser bem mais frequente, até não ser mais suficiente para ele. Foi quando Michael começou a usar drogas mais pesadas, especialmente as sintéticas.

Eu costumava ser o viciado que você veria com o capuz levantado tentando esconder sua pele acinzentada que estava coberta de feridas. Ou o viciado que você encontraria dormindo em um carro ou vagando pelas ruas porque não tinha para onde ir. Eu percorria qualquer distância, apenas para ficar chapado. Meus entes queridos eram muitas vezes vítimas do meu egoísmo”, escreveu Michael em um post compartilhado no Instagram.


Dos 19 aos 23 anos, ele viu sua vida ser completamente consumida pelo vício em drogas.

“Os dias se transformavam em semanas enquanto eu ia e voltava. Minha realidade se tornou hotéis infestados de drogas; eu dormia no banco de trás do meu carro ou em ‘casas de drogas’ aleatórias. Era um estado constante de paranoia e psicose. As veias em meus braços estavam traçadas com marcas de rastros. Minha pele tornou-se acinzentada e estava coberta de feridas por usar entorpecentes descontroladamente. Não era mais agradável usar como era quando tudo começou, mas minha mente e meu corpo estavam sendo mantidos como reféns”, relembrou.

Michael queria desesperadamente ficar sóbrio, mas ele simplesmente não conseguia descobrir como. “É como se eu estivesse me afogando e não conseguisse respirar ar fresco. Eu tinha períodos de sobriedade, mas não conseguia mantê-la por muito tempo. Muitas vezes eu seria vítima de mim mesmo”.

Tudo mudou em setembro de 2017, quando a mãe de Michael bateu na porta da casa onde ele morava. “A pessoa que atendeu disse que não conseguia me acordar. Minha mãe salvou minha vida naquele dia. Jurei que nunca mais ficaria chapado novamente”.

Ela não poderia ter visitado o filho em melhor hora… Isso porque naquela noite Michael foi intencionalmente envenenado por um colega de apartamento.

“Eu estava morrendo no meu quarto naquela noite. Dez anos de vício chegaram a um fim violento naquele exato momento. Foi um divisor de águas na minha vida. Um momento não só de clareza, mas de desespero. Eu fiz a escolha de não morrer assim. Minha dor se tornou meu propósito”, relembrou.

Uma semana depois, ele foi encaminhado para uma clínica de reabilitação.

No dia 21 de fevereiro de 2018, aos 23 anos, Michael completou o primeiro passo para a sobriedade: ficar limpo, de verdade, sem recaídas.

“Só conseguia pensar na minha filha. Minha filhinha passou metade de sua vida com ambos os pais no vício, mas eu fiz a escolha certa naquele dia de nunca mais fazê-la passar por isso novamente. Decidi que meus futuros filhos também nunca passariam por isso. Como resultado, meu segundo filho veio a este mundo com pais saudáveis ​​e sóbrios”, comemorou, incluindo também a esposa, Kyra, que era alcoólatra e hoje também está limpa.

Quatro anos se passaram. Michael se orgulha muito de dizer aos filhos: “por vocês, seu pai venceu o vício em drogas” e, junto com Kyra, reconstruíram suas vidas e seu casamento, e hoje vivem em plenitude, ao lado dos filhos – Reo e Tatem.

Não tenho mais 160 quilos com a pele acinzentada. As feridas das drogas cicatrizaram. As marcas desapareceram há muito tempo. Mas… a diferença definidora entre aquela época e agora é que a obsessão por usar drogas se foi. Eu me recuperei de um estado de espírito desesperado”, disse ele.

Vou viver sóbrio e dar o exemplo para meus bebês. Para fazer a diferença para nossos filhos, temos que fazer as mudanças dentro de nós mesmos. Temos que liderar. A recuperação dá às pessoas mais quebradas, a oportunidade de viver uma vida bonita”, completou Michael, que se formou em Direito e hoje trabalha como advogado.

Fonte: Razões Para Acreditar

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More