RASTREADORES SEM MENSALIDADES - FALE COM KELTON: TIM (88) 9 9975.7272 / CLARO (88) 9 9299.9212

PROBANK IMÓVEIS - (88) 3611.3086 / (88) 99990-5068

MENSAGEM NATALINA DA EMPRESA GRENDENE!

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Obesidade pode diminuir o volume de sêmen e acarretar uma disfunção sexual

Além dos efeitos negativos já amplamente conhecidos e causados pela obesidade, como hipertensão, diabetes, doenças do coração, artrite, apneia, derrame, insuficiência renal, dentre muitos outros, poucas pessoas sabem que a fertilidade também pode ser afetada pelo excesso de peso.

A má alimentação e o estilo de vida sedentário são responsáveis pelas dificuldades que grande parte dos casais enfrentam para conseguir gerar um filho. A obesidade, causada principalmente por esses dois fatores, pode acarretar a disfunção sexual, infertilidade, perdas gestacionais e outras complicações da gravidez. Homem e mulher têm influência nesse processo.

“Manter uma dieta adequada ajuda a regular hormônios e a combater os radicais livres, afeta diretamente a qualidade da ovulação da mulher e, aumentando assim, as chances de gravidez, além de preparar o corpo da mulher para receber uma gestação e até evitar abortos”, explica o médico ginecologista e especialista em reprodução assistida, Daniel Diógenes
Uma pesquisa feita por estudiosos franceses da Universidade de Paris Descartes e publicada em 2014 na Fertility and Sterility, publicação mensal da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva (ASRM), demonstrou que, em homens, quanto maior o peso corporal, menor o volume de sêmen, a quantidade de espermatozoides e pior a movimentação deles. O estudo foi realizado analisando 10 mil homens. A taxa de azoospermia, ou seja, de ausência de espermatozoides na ejaculação, era 9,1 % maior em obesos.

A pesquisa também apontou que o sêmen de homens obesos apresentava uma qualidade inferior ao de homens com níveis normais de IMC. Outros estudos mais recentes demonstram também que a obesidade pode estar associada a uma menor quantidade de testosterona, o hormônio masculino, e a um maior dano ao material genético do espermatozoide, fatores que interferem para piorar ainda mais a fertilidade.

Embora não se compreendam completamente os mecanismos que ligam o excesso de peso à infertilidade, é possível constatar também que, nas mulheres, os distúrbios hormonais sejam os principais causadores, com repercussões sobre a ovulação. Recentemente, a obesidade foi destacada também como um fator isolado para problemas uterinos.

A obesidade pode estar relacionada ainda com a diminuição das taxas de sucesso em tratamentos da infertilidade. Por isso, recomenda-se aos casais que queiram iniciar os processos de fertilização in vitro (FIV), a mudança imediata dos hábitos alimentares e a busca por um estilo de vida mais saudável.

Fonte: Tribuna do Ceará

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More