BLOG SOBRAL 24 HORAS - MAIS DE 207 MILHÕES DE VISUALIZAÇÕES

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Acusado de matar a professora Soraia Galdino vai a juri popular em Sobral

Acusado pelo assassinato da ex-esposa, a professora Ana Soraia Galdino, a facadas, em 2011, Francisco Aécio do Nascimento, preso em flagrante, após o crime, será julgado na próxima quinta-feira, dia 17 de agosto, a partir das 8h30, no Fórum Dr. José Saboya de Albuquerque, em Sobral.


O Crime

Soraia, que dava aulas há mais de 10 anos em uma escola municipal de ensino infantil localizada a poucos metros da casa onde morava, foi morta no dia 31 de outubro de 2011, dentro de casa, na Rua Zamenhoff, 122, no bairro Sinhá Saboya, em Sobral. A professora foi surpreendida por seu ex-companheiro, que a agrediu com cerca de 50 perfurações a faca, enquanto a mesma dormia, de acordo com a perícia à época. Francisco Aécio foi preso quando tentava deixar a cena do crime.


Manifestação

Em busca de maior visibilidade para o caso, amigos e familiares da professora planejam um ato público para pressionar o Judiciário em relação à Pena do acusado, pois o crime praticado, na época, foi tido como homicídio passional, sem o rigor da atual lei do feminicídio, que classifica como crime hediondo no Código Penal, crimes contra mulheres. Sancionada, pela ex- presidente Dilma Rousseff, em março de 2015, a lei prevê uma punição mais severa em crimes violentos contra mulheres, o enquadrando como homicídio qualificado.


SAIBA MAIS

O feminicídio é caracterizado quando a mulher é morta, justamente pelo fato de ser mulher, podendo ter características de requintes de crueldade, como mutilação de partes do corpo, ou ainda, assassinatos cometidos pelos parceiros, dentro de casa, ou aqueles com razão discriminatória. No caso da morte de Soraia, a motivação do crime, segundo investigações, se deu quando o casal estava em processo de separação, “pois, inconformado, Francisco Aécio do Nascimento, que segue recolhido à Penitenciaria Industrial Regional de Sobral (PIRES), optou por tirar a vida da professora, que deixou uma filha com 4 anos de idade, que dormia no quarto ao lado onde a mãe foi morta”, diz a acusação.

Fonte: Blog Zona Norte | DN

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More