ATENÇÃO! NÃO PERCA SEU VEÍCULO PARA A BANDIDAGEM!

ADQUIRA JÁ O RASTREADOR E BLOQUEADOR EM TEMPO REAL: FALE COM O KELTON OU LIGUE (88) 99975.7272/99299.9212. CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS

sexta-feira, 11 de outubro de 2019

Caldo da caridade é revigorante ou só faz parte da crendice popular?

Há quem diga o prato revigora e dá fim à ressaca. A nutricionista tira dúvidas.
Tradicional caldo nordestino incorporado à cultura amazônica, o caldo da caridade tem fama de acudir enfermos e levantar "corpos moídos", principalmente, depois de uma noite de exageros alimentícios e bebidas alcoólicas. Porém, a dúvida de parte da população é se, de fato, o caldo tem propriedades medicinais. O Em Tempo procurou a nutricionista Raisa Lima, que confirmou o poder dos ingredientes do prato popular e fala sobre as suas especificidades.

Para a professora Larissa Martins, o caldo da caridade é uma tradição familiar. “Minha mãe adora caldo da caridade, desde criança eu tomo quando estou doente e sinto que meu corpo responde bem. Quando estou gripada perco apetite, mas consigo tomar um caldinho e me sinto muito mais bem disposta. Após suar um pouco, me sinto melhor. Ele é revigorante”, disse.

Há quem diga que o caldo carece de vitaminas no prato. Ele é preparado à base de farinha de mandioca e há muitas dúvidas sobre a quantidade de calorias consumidas por porção. 

“É um prato calórico e com um alto valor nutricional. No cheiro verde temos Vitaminas C e K, na farinha de mandioca o carboidrato, o alho é antioxidante e antifúngico e, por isso, ajuda a aliviar sintomas da gripe. A cebola tem vitamina C e a fibra é anti inflamatória. No ovo há as vitaminas lipossolúveis e complexo B, já a pimenta do reino é termogênica, acelera o metabolismo e ajuda a eliminar toxinas através do suor", explica Raisa.

O conjunto de elementos descritos por Raisa ajuda na recuperação de pessoas debilitadas e podem ser servidos em hospitais ou em casa. As contraindicações, segundo os nutricionista, são específicas.

“Em pacientes bariátricos, por exemplo, não é indicado, pois a farinha irá inchar no estômago e pode causar desconforto. Também não é indicado para pacientes diabéticos por conta do açúcar da mandioca, que pode ser substituído por aveia. A partir de 8 meses, bebês podem consumir, antes não porque o organismo da criança não está preparado para este tipo de alimento”.

Não só o caldo da caridade é eficaz no tratamento de enfermos. O caldo verde é como um suco verde, os famosos sucos, detox. Por conta da quantidade de couve e batata, Raissa explica que ele também ajuda na energia do paciente, aumenta a glicose, possui vitaminas e minerais, além da clorofila que é antioxidante e ajuda na recuperação em casos de embriaguez, pois o álcool causa a oxidação acerada do organismo.

Com tantas dicas da especialista, você já pode continuar consumindo esse produto, que deixa a crendice popular e passa a ser o preferido dos caldos revigorantes. Veja a receita que preparamos:

Receita de Caldo da caridade em três passos:

- 2 ovos;

- 1 litro de água;

- Sal e pimenta - do - reino a gosto;

- Coentro e cebolinha verde picadinhos;

- 1 cebola picada;

- 2 dentes de alho espremidos;

- 2 colheres de farinha de mandioca.


Modo de preparo

1. Coloque todos os ingredientes em uma panela, exceto os ovos e a farinha, deixe ferver;

2. Acrescente os ovos e mexa bem, deixe cozinhar por uns 2 minutos;

3. Coloque a farinha e mexa para não empelotar, deixe mais um minuto e retire do fogo.

(D em Tempo)

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More