sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

Promotores de Justiça de SP querem ser priorizados com vacina da Covid

Grupo argumentou ainda que "não é questão de egoísmo".
Um grupo de promotores do Ministério Público de São Paulo encaminhou manifestação ao procurador-geral de Justiça do Estado, Mário Sarrubbo, e ao Comitê da Covid-19 da instituição, sugerindo a ‘análise da possibilidade’ de que a categoria seja incluída em uma das ‘primeiras etapas prioritárias’ da vacinação contra a Covid-19, ‘dada a atividade funcional da carreira’.

– Não é uma questão de egoísmo em relação a outras carreiras, mas tendo em vista notadamente os colegas do primeiro grau, que trabalham com audiências, atendimento ao público e outras atividades em que o contato social é extremamente grande e faz parte do nosso dia a dia – registra um trecho do documento.

O texto foi apresentado ao PGJ durante reunião do Conselho Superior do Ministério Público realizada no último dia 24. Segundo a ata do encontro, disponibilizada no site da Promotoria, o documento foi levado pelo conselheiro Arual Martins.

Ele, por sua vez, disse que recebeu a manifestação do promotor Roberto Barbosa Alves e respondeu ao colega que iria apresentá-la na reunião para que o Comitê da Covid-19 ‘pudesse analisar a questão e verificar a possibilidade’.

Durante a reunião, Sarrrubbo afirmou que encaminharia a questão ao Gabinete de Crise e disse ainda ‘que pode pessoalmente se empenhar em apresentar esse pleito ao Governo do Estado’.

A ata ainda faz menção aos testes da Coronavac, cuja entrada na fase final foi anunciada pelo governador João Doria no último dia 23. A avaliação sobre a eficácia do produto já começou e deve ter seus resultados divulgados no início de dezembro.

O PGJ sinalizou que há ainda outras vacinas que ‘têm se mostrado com eficácia muito boa’ e que há a expectativa de a imunização começar no primeiro semestre de 2021, ‘inicialmente para a população mais vulnerável, que seriam os idosos, os profissionais de medicina, e assim por diante’.

– De todo modo, (Sarrubbo) considera que é um pleito que pode ser levado a análise pelo Gabinete de Crise – registra a ata.

*Estadão

1 comentários:

Vixe!
Querem estender os privilégios deles até à vacina?

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More