segunda-feira, 11 de julho de 2022

Bolsonaro: “Dispensamos o apoio de quem pratica violência”

O presidente Jair Bolsonaro (PL) se pronunciou sobre o assassinato do guarda civil e tesoureiro do PT, Marcelo Aloizio de Arruda, morto neste sábado (9) durante a comemoração de seu aniversário de 50 anos, em Foz do Iguaçu, no Paraná. Por intermédio de suas redes sociais, o chefe do Executivo deixou claro que “dispensa qualquer tipo de apoio de quem pratica violência contra opositores”. A mensagem foi publicada às 19h15 deste domingo (10).

As investigações apontam que o crime teria sido motivado por intolerância política, visto que o atirador, o agente penitenciário federal Jorge José da Rocha Guaranho, é apoiador de Bolsonaro, como mostram suas publicações nas redes sociais. Testemunhas também afirmam que ele teria gritado “Aqui é Bolsonaro” antes de efetuar os disparos.

– Dispensamos qualquer tipo de apoio de quem pratica violência contra opositores. A esse tipo de gente, peço que por coerência mude de lado e apoie a esquerda, que acumula um histórico inegável de episódios violentos – postou o pré-candidato à reeleição.

Em uma sequência de tuítes, o presidente lembrou o episódio de setembro de 2018, semanas antes do primeiro turno eleitoral, quando foi alvo de uma facada em Juiz de Fora. Na declaração, ele também alfinetou seu rival pela corrida eleitoral, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que neste sábado (9) fez um agradecimento especial a um ex-vereador do PT preso em 2018 por tentativa de homicídio.

– É o lado de lá que dá facada, que cospe, que destrói patrimônio, que solta rojão em cinegrafista, que protege terroristas internacionais, que desumaniza pessoas com rótulos e pede fogo nelas, que invade fazendas e mata animais, que empurra um senhor num caminhão em movimento – acrescentou o presidente, que ainda cobrou investigações sobre o caso.

– Que as autoridades apurem seriamente o ocorrido e tomem todas as providências cabíveis, assim como contra caluniadores que agem como urubus para tentar nos prejudicar 24 horas por dia – finalizou.


– Independente das apurações, republico essa mensagem de 2018:

Dispensamos qualquer tipo de apoio de quem pratica violência contra opositores. A esse tipo de gente, peço que por coerência mude de lado e apoie a esquerda, que acumula um histórico inegável de episódios violentos.

— Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) July 10, 2022

ENTENDA O CASO
O guarda municipal Marcelo Arruda, candidato a vice-prefeito nas últimas eleições, foi assassinado a tiros durante sua festa de aniversário de 50 anos, ocorrida na noite deste sábado (9/7), em Foz do Iguaçu (PR). A festa tinha como tema o PT e fazia várias referências ao ex-presidente e pré-candidato Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo relatos, por volta das 23h, Jorge Guaranho invadiu a festa e atirou em Marcelo, que estava armado e revidou. Foi noticiado inicialmente que o atirador também teria morrido, mas novas informações confirmam que ele está internado em estado estável. A polícia investiga o crime como sendo de “motivação de política”.

(Pleno News)

2 comentários:

O presidente Bolsonaro está certo em NÃO incitar e apoiar a violência, mas infelizmente a grande mídia, com certeza, irá passar a semana divulgando o caso numa tentativa de manchar a imagem do presidente, que não tem nada a ver com o evento.

Não incita a violencia...Tá bom, quem era o presidente que fazia símbolo de arma com a mão mesmo?

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More