quinta-feira, 28 de julho de 2022

EXCELENTE NOTÍCIA: Petrobras anuncia nova redução no preço da gasolina vendida para as distribuidoras

A implementação da redução de R$ 0,15 no valor do litro da gasolina nas distribuidoras, anunciado pela Petrobras nesta quinta-feira, 28 de julho, irá gerar uma redução de até R$ 0,10 no preço cobrado ao consumidor no Ceará.

Projeção foi repassada com exclusividade ao O POVO, pelo assessor econômico do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado do Ceará (Sindipostos), Antônio José Costa.

A redução por parte da Petrobras entrará em vigor amanhã, sexta-feira, 29 de julho, e terá efeito no Ceará a partir da próxima semana, a medida que os postos de combustíveis forem renovando os estoques.

"Considerando a mistura obrigatória de 73% de gasolina A e 27% de etanol anidro para a composição da gasolina comercializada nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor passará de R$ 2,81, em média, para R$ 2,70 a cada litro vendido na bomba", detalha a Petrobras.

Há uma semana, no dia 19, a estatal havia implementado um reajuste negativo nos preços, adotando uma redução de R$ 0,20 no preço praticado nas refinarias, base de produção dos combustíveis.

Na avaliação do assessor econômico do Sindipostos, o cenário de queda deverá se prolongar.

"É um fator muito positivo para o consumidor, tivemos há pouquíssimo tempo uma redução e agora outra, ou seja, é mais um reforço para o consumidor. As baixas da Petrobras estão relacionadas a queda no barril de petróleo no mercado nacional e isso deve se manter por um tempo e como já reduzimos os impostos no Estado, o preço deverá normalizar em um patamar menor", pontua.

Antônio reitera ainda que não é possível realizar o repasse total da redução feita pela Petrobras em decorrência dos custos de manutenção da cadeia produtiva e dos patamares elevados de preço para o etanol anidro, que representa 27% da composição do litro da gasolina comum.

Petrobras reduz em R$ 0,15 o preço da gasolina nas distribuidoras

A estatal afirma que a redução foi possível a partir da estabilização dos preços de referência praticados no mercado internacional.

A empresa define o reajuste negativo como algo "coerente com a prática de preços da Petrobras, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado global, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações internacionais e da taxa de câmbio".

Diante da queda do preço do barril de Petróleo no mercado internacional, em decorrência de um temor de recessão global, a paridade de preços com relação ao preço da gasolina no Brasil reduziu consideravelmente.

Conforme dados da Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), ainda no dia 26 de julho, a gasolina no Brasil chegou a ter preço 2% maior do que a média no contexto internacional de exportação.

Nesta quinta-feira, 28, porém, a paridade voltou a subir, mas se estabilizou em 2%, com uma diferença de R$ 0,07, ainda assim, o cenário é positivo para o consumidor, já que a defasagem em baixa afasta perspectivas de aumentos nos preços por parte da Petrobras.

Com informações do portal O Povo

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More