sexta-feira, 22 de julho de 2022

Izolda sanciona lei que prevê demissão de servidor que agredir mulheres

A governadora Izolda Cela (PDT) sancionou nesta quinta-feira, 21, um projeto de lei que permite a demissão de funcionários públicos do Estado envolvidos em casos de violência doméstica e familiar contra mulheres. "Seguimos na luta no enfrentamento da violência contra a mulher", destacou.

Segundo Izolda, a nova medida, aprovada pela Assembleia Legislativa, "fortalece esse cerco de proteção e tem como objetivo uma sociedade mais respeitosa e mais pacífica". Ela informou ainda que a atual gestão já inaugurou duas unidades da Casa da Mulher Cearense, sendo uma em Juazeiro do Norte e outra em Sobral, e construirá outros quatro espaço, na cidades de Iguatu, Crateús, Tauá e Quixadá. "Aproveito para agradecer o empenho das nossas deputadas e deputados na aprovação dessa importante medida. A secretária de Proteção Social, Onélia Santana, e a ex-secretária Socorro França também participaram da assinatura", completou.

3 comentários:

Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Essa lei é politiqueira e inconstitucional. Se o sujeito perder o emprego, como ele vai pagar as pensões e indenizações à vítima.

Se caso for ao contrário, a mulher agredir o homem, a lei também se aplica? Se a resposta for não, então a lei é anticonstitucional

E quando o homem é agredido por a mulher?

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More