segunda-feira, 15 de agosto de 2022

Grendene foca na produção da calçados com menor impacto ambiental

Das 40 novas pesquisas realizadas pela empresa sobre materiais com menor impacto, 11 tiveram aprovação.
Conforme o relatório de sustentabilidade da companhia, com sede em Sobral (Zona Norte do Ceará), 22% dos materiais utilizados na produção, seguindo estudos de impacto ambiental realizados no ano passado, foram de origem renovável. Todos os calçados da empresa contam com 30% de conteúdo reciclado pré-consumo, em média, característica que contribui para uma baixa emissão de carbono na produção.

No radar da empresa está a substituição crescente de materiais de origem fóssil por alternativas de origem renovável e, atualmente, 100% dos produtos das nove marcas do universo Grendene são veganos, registrados pela Vegan Society, organização vegana mais antiga do mundo, estabelecida no Reino Unido. A redução dos impactos ambientais foi reconhecida pela Amcham Brasil que concedeu à Grendene, em julho, o Prêmio ECO® deste ano na categoria Práticas de Sustentabilidade, Categoria Produtos e Serviços para Grandes empresas, para o case “A Recriação de Futuros da Rider”, pela campanha dos 35 anos da marca Rider.

O Programa R4, como foi nomeado, marca o início do posicionamento de sustentabilidade da marca Rider e o pioneirismo no uso de materiais de menor impacto na gigante do ramo de calçados, como o EVA biobased, de cana-de-açúcar, e os têxteis produzidos com garrafas PET recicladas pós-consumo, como tecidos e fitas. “Com os resultados do estudo de Avaliação de Ciclo de Vida (ACV) conduzido por terceira parte, foi possível calcular quanto todos os produtos com atributos de menor impacto da marca Rider vendidos entre 2019 e 2021 evitaram de emissões de CO2eq, unidade de medida internacional que traduz os demais gases do efeito estufa em termos equivalentes ao CO2”, afirma Carlos André Carvalho, gerente da divisão de desenvolvimento sustentável da fábrica.

Ainda, segundo Carvalho, “o resultado foi de cerca de 16,7 toneladas de gases” revela. o gerente adianta, também, que a integração com a comunidade, por meio da seleção de protagonistas nordestinos para a campanha de comunicação, a interação com a fábrica em Sobral e as colaborações com projetos sociais atravessam o case em diversos momentos e merecem destaque pela contribuição à sociedade.

“O futuro da Grendene é ter um calçado vegano com a maior quantidade possível de biomateriais”, ressalta o gerente da divisão de desenvolvimento sustentável, e finaliza. “Acrescentando, também, o uso de outros materiais, como casca de arroz e casca de coco, resíduos agroindustriais que substituem material de origem fóssil na composição. Tanto nos materiais biobased como nos reciclados pré e pós consumo reduzimos a emissão de carbono”, comemora.

Via Marcelino Jr / Sistema Paraíso

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More