segunda-feira, 23 de janeiro de 2023

Mulher que matou marido em hospital disse que ele pediu

Plano do casal incluía que ela se suicidasse depois.
A mulher que matou o marido a tiros neste sábado (21) em um hospital de Daytona Beach, na Flórida, onde ele estava internado em estado terminal, disse à polícia que agiu para atender um pedido dele e que o plano incluía ela tirar a própria vida, segundo informou a imprensa local neste domingo (22).

A polícia identificou a mulher como Ellen Gilland, de 76 anos, e o marido como Jerry Gilland, de 77.

– Como ele estava em estado terminal, eles conversaram e planejaram o que fazer cerca de três semanas atrás – disse o chefe da polícia de Daytona Beach, Jakari Young, segundo emissoras de televisão dessa cidade localizada na costa leste da Flórida.

Ellen Gilland foi presa assim que deixou o quarto do marido no Hospital AdventHealth, onde se entrincheirou após baleá-lo e do qual não saiu por cerca de três horas, de acordo com a polícia.

Young disse que a mulher foi presa por homicídio, mas será o Ministério Público quem ficará a cargo de denunciá-la.

De acordo com um comunicado da polícia divulgado no sábado, oficiais de negociação foram enviados ao hospital quando a morte de Jerry Gilland foi confirmada para persuadir a mulher armada a sair do quarto e se entregar.

Na ocasião, a polícia pediu às pessoas que não se aproximassem do local e a área do Hospital AdventHealth foi evacuada para proteger funcionários e pacientes.

Segundo Young, naquela área para doentes terminais, localizada no 11º andar do hospital, a maioria dos pacientes está ligada a respiradores, o que dificultou muito a evacuação.

Segundo o Channel 9 de Daytona Beach, ainda não se sabe como Ellen Gilland conseguiu escapar dos controles do hospital e entrar com uma arma no centro médico.

*EFE

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More