ATENÇÃO! NÃO PERCA SEU VEÍCULO PARA A BANDIDAGEM!

Instale agora mesmo um Sistema de Rastreamento da Sobral RASTREADORES. (88) 999757272 / 992999212

sábado, 17 de novembro de 2018

Supremo Tribunal Federal prepara compra de carros blindados para ministros

Mais alta Corte do país decidiu adquirir 14 veículos para o uso dos 11 ministros. Contrato deverá ter teto de R$ 3,2 milhões.
O Supremo Tribunal Federal (STF) se prepara para licitar a compra de carros blindados para o transporte dos ministros da Corte. Depois de o tema da violência ganhar destaque na campanha eleitoral, o órgão, sob orientação da área de segurança, decidiu adquirir 14 veículos blindados para uso dos 11 ministros.

O contrato deverá ter teto de R$ 3,206 milhões — vence a proposta de menor valor na concorrência, que será feita por pregão eletrônico.

O edital, que deve ser lançado na próxima semana, prevê a compra de carros sedã de grande porte, sem especificar marca — os R$ 3,2 milhões são uma estimativa baseada em preços do mercado.

Os ministros não costumam utilizar carros blindados para se locomover no Distrito Federal, mas apenas no Rio de Janeiro e São Paulo, onde têm à disposição veículos alugados à prova de balas. Brasília tem índices de violência menores na comparação com as duas cidades. Segundo uma fonte ouvida sob reserva, o STF já dispõe de alguns blindados, mas em baixa quantidade, e não necessariamente para ministros.

Ao assumir a presidência do STF, o ministro Dias Toffoli nomeou como assessor de seu gabinete o agora indicado pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, para o ministério da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva. Na época da nomeação, uma das responsabilidades atribuídas ao militar era a área de segurança.

Ao longo do ano, foram registradas ameaças a alguns dos ministros. Em abril, o Supremo ampliou de cinco para sete o efetivo à disposição no Paraná para a segurança do ministro relator da Lava Jato, Edson Fachin, após ele relatar ameaças a familiares. Em outubro, a ministra da Corte e presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Rosa Weber, também foi alvo de ameaças, que motivaram a abertura de investigação.

Segundo dados de maio, o Supremo gasta R$ 24 milhões por ano com empresas de segurança privada — R$ 12 milhões com guarda-costas armados dos 11 ministros e o restante com um contrato de vigilantes da sede em Brasília. (R7)

2 comentários:

por que será que eles são ameaçados né?

É, quem tem, tem medo. E pra nós, pobres mortais, resta a possibilidade de morrer nas mãos de bandidos, nas ruas das cidades, pelos motivos os mais fúteis possíveis.
Mas, para mordomias dos poderosos não faltam verbas,dinheiro fácil.
Não é à toa que se valem de subterfúgios para burlar as leis subirem impostos injustamente para manter privilégios. o IPTU de Sobral é ,exemplo disso.

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More