249 ANOS! PARABÉNS SOBRAL!

sábado, 8 de janeiro de 2022

Inquérito aberto há 20 meses não consegue incriminar Bolsonaro, e ganha prorrogação

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, prorrogou por mais 90 dias o inquérito que ele próprio abriu há vinte meses, em abril de 2020, para investigar suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal (PF). As sucessivas prorrogações revelam a dificuldade de incriminar o presidente.

O Inquérito da PF também apura crime de denunciação caluniosa por parte do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro.

“Considerando a necessidade de prosseguimento das investigações e a existência de diligências em andamento, nos termos previstos no artigo 10 do Código de Processo Penal, prorrogo por mais 90 dias, a partir do encerramento do prazo final anterior (27 de janeiro de 2022), o presente inquérito”, decidiu o ministro.

A abertura do inquérito sobre a suposta interferência na PF foi autorizada em abril de 2020, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

O objetivo é apurar declarações do ex-juiz Sergio Moro, que ao se demitir do cargo de ministro da Justiça, naquele ano, acusou o presidente de tentar interferir na PF por meio da troca do diretor-geral da instituição.

Desde que o ex-juiz fez as acusações, o presidente Jair Bolsonaro tem afirmado que não interferiu na PF e que são “levianas todas as afirmações em sentido contrário”. (Diário do Poder)

2 comentários:

Só esqueceu de dizer que toda vez que aparece provas contra ele ele troca quem está investigando

Não vão conseguir incrimina-lo nunca, porque toda vez que as investigações estão chegando nele e nos filhos, ele troca o Delegado da PF

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More