sexta-feira, 26 de agosto de 2022

Bolsonaro quer que Moraes apresente fundamentação de ação contra empresários “o mais rápido possível”

Para o presidente, não "falta mais nada para que realmente possamos ter um problema grave no Brasil provocado por uma pessoa".
Nesta quinta-feira (25), durante sua tradicional live pelas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro criticou uma ação da Polícia Federal (PF) que teve como alvo um grupo de empresários que teria defendido um golpe no Brasil, caso o ex-presidente Lula vencesse as eleições. Para o presidente, Moraes precisa apresentar a “fundamentação dessa operação o mais rápido possível”.

A operação da PF ocorreu após uma reportagem do site Metrópoles apresentar prints que seriam de conversas de grandes empresários brasileiros em um grupo privado de WhatsApp. De acordo com o colunista Guilherme Amado, entre os empresários presentes no grupo estavam Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan; Afrânio Barreira, do Grupo Coco Bambu; José Koury, dono do Barra World Shopping, no Rio de Janeiro; Ivan Wrobel, dono da construtora W3 Engenharia; e Marco Aurélio Raymundo, dono da marca de surfwear Mormaii.

A ação foi autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF. Ele autorizou o cumprimento de mandados de busca e apreensão contra oito empresários. Nas mensagens, eles teriam chegado a afirmar que “golpe foi soltar o presidiário” e que os atos marcados para o próximo 7 de Setembro estão sendo programados “para unir o povo e o Exército”.

Ao tratar do assunto, o presidente disse que a ação teria sido baseada em uma matéria de jornal.

– Pelo que tudo indica até o momento, foi baseado em uma matéria de jornal (…). A gente espera aí que o ministro Alexandre de Moraes apresente aí a fundamentação dessa operação o mais rápido possível. Porque, agora, a gente está vendo a escalada contra a liberdade, que eu sempre tenho falado, tem se avolumado em cima desses empresários – apontou.

Bolsonaro também mostrou preocupação com a ação e disse não faltar mais nada para que “realmente possamos ter um problema grave no Brasil provocado por uma pessoa”.

– Desses oito, dois eu conheço muito bem. Trocam informações no “zap” comigo. E realmente quero entender o que está acontecendo e que ninguém sabe. Fiz uma nota nas minhas mídias sociais falando exatamente do que está atingindo essa parte da sociedade. E no meu entender, não falta mais nada para que realmente possamos ter um problema grave no Brasil provocado por uma pessoa – destacou.

(Pleno News)

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta matéria

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More